Longos assuntos prazo anos

Portanto, é preciso pensar na conservação. Na EE Municipalizada Dom Bosco, em Rio das Ostras, a 175 quilômetros do Rio de Janeiro, depois de os funcionários participarem de uma capacitação sobre o tema oferecida pela rede municipal, a equipe gestora disponibilizou dois locais para esse fim: um armário, localizado dentro da secretaria para o material de uso corrente, e uma sala anexa ... Os militares que tomaram o poder no Mali e forçaram o Presidente Ibrahim Boubacar Keita a demitir-se, afirmaram esta quarta-feira, 19 de agosto de 2020, que pretendem uma “transição política civil” que conduza a eleições gerais dentro de um “prazo razoável”, noticiou a Lusa. “Nós, as forças patrióticas agrupadas no Comité Nacional para a Salvação do Povo (CNSP ... O porta-voz garantiu ainda que todos os acordos internacionais do Mali serão respeitados, afirmando que os militares estavam “empenhados no processo de Argel”, o acordo de paz assinado em 2015 entre Bamako e os grupos armados do norte do país.O porta-voz dos militares pediu ainda o apoio das organizações internacionais “para o bem-estar do Mali”. Para o curto prazo, associado à definição da nossa Selic, esses parâmetros seriam 3%, 1% e 1%, o que implicaria ter uma taxa normal de 5% daqui a alguns anos, deixando de lado pequenas ... Militares que tomaram poder no Mali anunciam eleições dentro de 'prazo razoável' 19 de Agosto, 2020. Os militares que tomaram o poder no Mali e forçaram o Presidente Ibrahim Boubacar Keita a demitir-se, afirmaram hoje que pretendem uma 'transição política civil' que conduza a eleições gerais dentro de um 'prazo razoável'. Os militares que tomaram o poder no Mali e forçaram o Presidente Ibrahim Boubacar Keita a demitir-se, afirmaram esta quarta-feira que pretendem uma 'transição política civil' que conduza a eleições gerais dentro de um 'prazo razoável'. 'Nós, as forças patrióticas agrupadas no Comité Nacional para a Salvação do Povo (CNSP), decidimos assumir as nossas responsabilidades perante o ... Lembre-se que o prazo de 5 anos pode ser curto para aplicações muito arriscadas, como ações, embora nossa recente história mostre dados diferentes. É o risco. Minha sugestão é que, independente do quanto tenha para aplicar, o faça de forma a ter parte investida em fundos mais conservadores, parte em fundos Multimercado e de 3% a 10% em ... Na imagem acima, Amorim mostra como se dá o processo de crise e retomada na economia. Para o economista, movimentos de recuperação são longos e levam anos depois da crise, mas nada garante que isso acontecerá desta vez, já que a retomada foi mais rápida e mais forte, pelos incentivos do governo. Militares que tomaram poder no Mali anunciam eleições dentro de 'prazo razoável' ... e “a gestão familiar dos assuntos do Estado”. ... seu apoio ao longo destes longos anos e o calor do ... NOTÍCIAS Mali: Militares anunciam eleições dentro de 'prazo razoável' Os militares que forçaram o Presidente Ibrahim Boubacar Keita a demitir-se, afirmaram esta quarta-feira (19.08) que ...

ROE (estudo comparativo)

2020.09.21 16:01 wonderful_teacher ROE (estudo comparativo)

ROE (estudo comparativo)
Continuando o estudo que eu estou fazendo com dados das empresas listadas na bolsa, agora eu fiz uma comparação com o ROE das empresas, considerando o que esta no livro "Warren Buffet e a analise de balanços":
As empresas que se beneficiam de uma vantagem competitiva durável ou de longo prazo apresentam um retorno sobre o patrimônio líquido acima da média. [...]
Um retorno alto sobre o patrimônio significa que a companhia está usando bem o lucro que está sendo retido. Com o passar do tempo, esses retornos altos sobre o patrimônio se acumulam e aumentam o valor subjacente da empresa, que, ao longo do tempo, acabará sendo reconhecido pelo mercado acionário por meio de um aumento da cotação das ações daquela companhia.
No capítulo seguinte, o autor expõe a questão que a alavancagem possui sobre os lucros da empresa:
Alavancagem é o uso de dívidas para aumentar o lucro da empresa. Esta toma emprestados US$ 100 milhões a 7% e utiliza esse dinheiro, ganhando 12%. Isso significa que está lucrando 5% além do custo do capital. Consequentemente US$ 5 milhões são lançados no resultado financeiro, aumentando o lucro e o retorno sobre o patrimônio.
O problema é que a alavancagem pode fazer com que a companhia pareça ter algum tipo de vantagem competitiva, quando, na verdade, está apenas usando um grande volume de dívidas.
Realmente, como foi apontado na publicação que eu tinha feito sobre margem de lucro líquido, não dá pra olhar só pra esse indicador e tirar concluões sobre qualquer vantagem competitiva da empresa, aliás, não dá pra usar nenhum indicador isoladamente.
Quando agente analisa o ROE (lucro líquido / patrimônio líquido), a gente precisa lembrar que o lucro líquido é impactado pelo giro que a empresa faz do ativo e também da alavancagem. Então uma empresa com baixa taxa de lucro pode ter um giro alto (por exemplo, comércio), ou se alavancar para aumentar o volume absoluto do lucro.
METODOLOGIA: Eu segui o comentário do u/Jejerm e baixei os dados financeiros das empresas listadas na bolsa e disponíveis na CVM, usei só o ano de 2019. Os dados usados não foram corrigidos pelos não-recorrentes, porque eu teria que pegar cada empresa e analisar, mas isso não impacta no resultado de uma maneira expressiva. (Eu até cogitei pelar isso do Bastter, mas eles arrendondam os valores e isso sim gerou grande diferença nos resultados, então eu fiz na unha).
Usei a definição que o u/celtiberian666 comentou na primeira publicação para chegar no ROE e isolar a margem de lucro líquido, giro do ativo e alavancagem ( LL/PL = LL/ROL x ROL/AT x AT/PL)
O gráfico abaixo mostra a relação negativa entre Margem de lucro líquido e as outras medidas (giro do ativo e alavancagem). A linha de tendência é estatisticamente significante, o que significa dizer que, na média, as empresas com baixa margem de lucro possuem maior giro do ativo ou alavancagem. Eu usei o log das variáveis porque a dimensão delas é muito diferente.

https://preview.redd.it/wturyy50bio51.png?width=483&format=png&auto=webp&s=2d61dd759664cd01ea370da608a54409176aaf18
A relação entre giro do ativo e alavancagem não é significante. O útlimo quadrante é somente a variável alavancagem com relação a ela mesma, pode ignorar.
Depois eu verifiquei qual é a distribuição das empresas por ROE, o gráfico abaixo mostra que não existe uma grande concentração, mas eu acho que a maioria (2/3 das empresas) tem um ROE de até uns 20%. Eu exclui as empresas com prejuízo, então só mostra as empresas com ROE>=0

https://preview.redd.it/1wxjfjk1bio51.png?width=972&format=png&auto=webp&s=8eff8b0d590738809e089ce186c1cde24bf8aaa9
Por fim, eu listas as empresas dentro de cada setor, rankeando em ordem decrescente de ROE, e comparando com a margem de lucro líquida. Quando a bolinha laranja (margem de lucro), está à esquerda da bolinha azul (ROE), então é porque a empresa esta compensando com giro ou alavancagem para chegar ao ROE indicado.
Pode ser que o não-recorrente distorça essa visualização aqui pra alguma empresa.
https://preview.redd.it/o6esu9ls8so51.png?width=1155&format=png&auto=webp&s=01889f47e201a2a81cf17851d0f64c6e2e8a6929
Se você comparar duas empresas do mesmo setor, fica mais claro essa diferença. Olhando EZTC e EVEN, as duas tem um ROE quase igual, de 7,6%. Mas a EZTC tem margem de lucro de 36,11% versus 7,46% da EVEN.m A EZTC gira menos o ativo em relação à EVEN, mas a alavancagem da EVEN é mais que o dobro da EZTC, pra entregar o mesmo ROE.

https://preview.redd.it/fol3y3e3bio51.png?width=950&format=png&auto=webp&s=9cf167a693f5f020a54afe0830b121386db93d3f
Não dá pra esgotar o assunto sobre o ROE. Como eu disse, não dá pra usar ele individualmente, qualquer movimento que impacte o lucro líquido ou o patrimônio líquido vão distorcer o indicador, principalmente dívida, uma outra maneira de analisar eficiência do lucro seria o ROIC. Mas os dados mostram que ele é um indicador razoável para balizar sua decisão e entender a diferença entre duas empresas do mesmo setor.

EDIT: mudei as cores
submitted by wonderful_teacher to investimentos [link] [comments]


2020.09.12 14:11 Tourdegoule Baixar o dólar ou criar fábricas no Brasil?

Assim vejo todo mundo reclamando da taxa Selic. Mas acho que o assunto em si é mais complexo do que
subir Selic= dólar baixo= arroz mais barato= Brasil superpotência mundial
Não quero dizer que não entendo esse raciocínio a curto prazo mas e a longo prazo? Desde de o plano real o Brasil basicamente se transformou em um país sem fábricas. Por que produzir as coisas aqui já que o dólar está baixo e da para comprar uma tv importada barata?
Só que isso quando comparamos com a maioria dos pais faz o Brasil ficar na mão de agricultores e mineradores...
O Brasil não precisa de dólar a dois para conprar um iPhone barato. O Brasil precisa de um plano de industrialização para os 15 próximos anos. Em vez de só juntar as peças da tv comprada em dólares lá fora. Produz elas aqui.
Isso é um dos caminhos possíveis com o câmbio alto e Selic baixa.
Óbvio que é difícil e é um plano a m prazo. Mas se o Brasil quer poder ter uma certa independência, ele vai precisar disso.
submitted by Tourdegoule to investimentos [link] [comments]


2020.08.29 23:42 Abalone_Middle Refletindo sobre o passado para entender o presente

Descobri que tenho dislexia, tudo começou quando meu irmão foi diagnosticado em 2018, mas na época eu não me importei muito com isso e não fazia questão de entender. Mas conheci uma pessoa em um site de conversa esse ano; atualmente não conversamos mais; que disse que tem dislexia por isso escrevia algumas palavras muito "fáceis" de maneira errada. Por meu irmão já ter o diagnóstico de dislexia e esse menino ter falado isso eu fiquei curiosa pra pesquisar sobre o assunto; foi aí que tudo se encaixou. Eu me identificava muito com os "sintomas", e via que meu irmão também apresentava muitas dessas dificuldades também. Dislexia é um distúrbio de aprendizagem de origem neurológica(então está interligado aos neurônios do cérebro e a pessoa nasce assim), que está relacionado não somente a questão de leitura e escrita, mas vários outros fatores, como a memorização a longo e curto prazo. Geralmente é hereditário, por essa questão eu "investiguei" quem da minha família tem, e minha mãe também se identifica muito com todos os "sintomas" em um grau até maior que eu. E minha irmã tbm se identifica.
*Isso aqui provavelmente será um texto grandinho kk, então me desculpem, agradeço quem ler até o final e se quiser falar alguma coisa fique a vontade!
Desde pequena eu sempre me preocupei muito com as coisas; me preocupava se meus pais estavam gastando dinheiro comigo, mesmo se fosse com comida; me preocupava com as expressões que as pessoas faziam quando eu falava; me preocupava em chegar na escola no horário, nenhum minuto atrasada. Basicamente é o que a maioria das crianças procuram: aceitação tanto dos pais, quanto da sociedade. Quando pequena, uns 4 anos, eu falava algumas palavras erradas e gaguejava algumas vezes quando ficava nervosa; não me recordo quais palavras, mas acho que era omissão do r em palavras como "brinquedo", eu sabia que falava errado (apesar de saber e tentar falar certo, não conseguia) e observava as pessoas sendo "indiferentes" ou "caçoando" de mim. Nessa mesma época eu comecei a cuspir sem parar, por achar que o cuspe que me atrapalhava a falar direito. Depois parei com isso, e depois de alguns anos conseguia falar as palavras.
Eu nasci na Paraíba e me mudei pra São Paulo com 5 anos, antes eu achava que meu único e maior trauma era a xenofobia indireta que sofri quando me mudei; observando a indiferença das pessoas e muitas vezes sendo zombada por causa do sotaque. Mas é muito mais complexo que isso.
Quando eu estava no processo de alfabetização lembro que tinha dificuldade em lembrar como se escrevia as palavras, mesmo ja ter escrito várias vezes antes, me confundia com algumas letras ao ler, como o b e d, quando lia algum texto não conseguia lembrar o contexto; interpretar o texto completo... pra poder entender eu lia várias e várias vezes. Até hoje é assim; mas dependendo da minha concentração e se ler prestando atenção e interpretando cada palavra, consigo ler somente uma vez e entender. Quando eu escrevia de maneira errada no quadro ou quando eu perguntava como se escrevia uma palavra "fácil", os meus colegas riam de mim; (eu ja era tímida, esses acontecimentos e vários outros fatores me fizeram ser ainda mais) a partir dai comecei a preferir ficar mais quieta na sala de aula, não tirar minhas dúvidas e a me sentir inferior, incapaz e burra. Hoje consigo escrever as palavras, grande parte, corretamente; mas não foi "decorando" ou sabendo as regrinhas (pq eu não conseguia lembrar das regrinhas tbm), foi mais de treinamento; meio que minha mão memorizou como se escreve, mas as vezes ainda me confundo. Uma das matérias que eu mais gostava era matemática, mas quando teve que decorar a tabuada eu não sabia mais de nada. Pq eu não conseguia decorar e nem somar rápido mentalmente. Uma técnica que aprendi pra fazer as provas que envolvia multiplicação, era somar até dar o resultado. Meu pai tentava me ensinar resolver divisão, mas eu ficava tão focada que eu não sabia multiplicação de cor, então não conseguiria resolver divisão. Ele acabava gritando comigo e eu chorava por não conseguir, mesmo eu me esforçando ao máximo.
Na escola qualquer coisa que acontecia comigo, que alguém reclamasse de mim, ou até que eu não conseguisse resolver alguma atividade eu chorava, e a professora não entendia o motivo; pesquisei bastante esses últimos dias, e basicamente isso ocorre quando a criança fica guardando vários sentimentos estressantes dentro dela, e quando algo pequeno ou grande abala as emoções dela, ela acaba soltando esse estresse por meio do choro. Isso acontece com adultos tbm, que mts vezes é "soltado" com ansiedades, fobias, depressão, toc, gastrite; entre vários outros.
Todos esses acontecimentos que eu vivi fizeram eu desenvolver vários traumas e baixa autoestima, mas tbm me fizeram ter mais empatia pelos outros. E nada é definitivo, eu estou em constante mudança e evolução, posso trabalhar em cima disso, estudar, entender e superar tudo isso.
Estou estudando muito, desde neurologia até sociologia e historia pra poder entender tudo isso, e não ficar só culpando os professores, escolas, pais, sociedade, etc... A culpa não será diretamente de uma pessoa, talvez nem exista um culpado. Há muito pouco tempo a humanidade entrou nesse processo de "alfabetização" e conhecimento intelectual, então como eles poderiam entender toda essa complexidade? ..... Todos conseguimos fazer apenas o que nosso conhecimento permite. Meus pais foram os melhores pais que eles poderiam ter sido, tendo eles as oportunidades que tiveram, os pais que tiveram, o que aprenderam, o que a humanidade tinha conhecimento.... tudo depende de vários fatores. Meus professores foram os melhores professores que eles conseguiam na época, relacionado com o conhecimento que eles tinham, com a cultura que eles estavam inseridos, TUDO depende de muitas coisas.
(* Muitas crianças brilhantes e adultos extraordinários acabam sendo destruídos emocionalmente e desmotivados pelo padrão de aprendizagem)
submitted by Abalone_Middle to desabafos [link] [comments]


2020.08.24 15:41 RightCook [Sério] Porque é que somos tão incapazes de discutir como gente civilizada?

Não sei se aqui alguém vai ler isto mas creio ser o sítio correcto para o assunto de acordo com o regulamento actual do /portugal (digam-me se estou errado).
Sou utilizador regular da Internet há mais de 25 anos e comunico frequentemente com pessoas de mais de uma dúzia de países diferentes--largamente em inglês (também compreendo algum espanhol e francês). Isto é um throwaway; estou no reddit há muitos anos.
De maneira geral (claro que há excepções!) nunca tive acesso a uma comunidade nacional tão consistentemente incapaz de ter um diálogo racional sobre o que quer que seja como a portuguesa. Isto é claramente visível em secções de comentários, foruns e por aí em diante, mas o /portugal é um exemplo de primeira.
Peguem numa submissão qualquer sobre um assunto minimamente controverso e leiam os comentários. Não interessa o que cada um tem a dizer, porque ao fim de duas ou três respostas encadeadas já passaram aos ataques pessoais, descartando a honestidade retórica do fio da conversa a favor de tentar "ganhar" a discussão com a estratégia de jardim de infância de calar o outro chocando-o com o quão desagradável a resposta é. E se isso não funcionar, há sempre o velho downvote como dislike, em flagrante violação da rediquette sobre a qual as regras do subreddit supostamente se encontram assentes.
É óbvio que estas atitudes também existem em muitas discussões--e pessoas--de lingua inglesa. No entanto, vejo um esforço muito maior nessas discussões (desde que o subreddit em que se encontram tenha um minimo de moderação) para proteger a qualidade e o valor da discussão em si, com muitos leitores e participantes sacrificando as respostas que, mesmo que lhes sejam agradáveis, não são construtivas. Tira-se muito mais proveito da conversa quando as crianças birrentas se calam e escutamos atentamente os outros, de forma a compreender o seu ponto de vista, em vez de os deshumanizar.
Isto não é uma rant política. Já vi pessoal de todos os alinhamentos políticos a ter estas atitudes, no /portugal .
Talvez isto seja um problema cultural do nosso país e portanto insolúvel. Mas antes de se desistir, talvez se deva tentar encarar este problema e tentar fazer melhor. Eu vejo no regulamento:
Evite-se!
(...)
Ataques Pessoais: Ataques ao indivíduo ao invés de às suas ideias. (...)
Eu aprecio os esforços da moderação do subreddit. Mas em vez de intervir de forma exclusivamente punitiva e reactiva, não seria melhor--possível--neste caso seram mais proactivos e preventivos, chamando a atenção das pessoas, tendo em conta a sua atitude a longo prazo, talvez até tendo outras iniciativas mais educacionais? O que vos parece? Se tiverem outras ideias ou comentários sobre o assunto também gostaria de ler. Asseguro-vos de que não vou insultar ninguém pelas suas respostas.
submitted by RightCook to metaportugal [link] [comments]


2020.08.21 16:21 No_Guarantee443 NicoQuit Caps Funciona

NicoQuit Caps Funciona【Valor, Composição, Onde Comprar】
COMPROVADO NICOQUIT CAPS FUNCIONA !! Suplemento Nutracêutico de Alta performance que elimina a vontade de Fumar
Olá, seja bem-vindo a ler este artigo! Se você chega aqui porque precisa mesmo parar de fumar, não é? Dessa forma, se você estiver procurando métodos de teste inovadores e revolucionários e for aprovado, poderá eliminar a vida útil dos cigarros! Parabéns, você acabou de encontrar. Além disso, Nicoquit Caps elimina a vontade de fumar após algumas semanas de uso, garantindo totalmente que o melhor é 100% natural. Boa leitura.
O que é NicoQuit Caps?
NicoQuit Caps é um suplemento alimentar com funções claras e objetivas para ajudar nosso corpo a parar de fumar. Além disso, além de reduzir o estresse, diminuir os danos do corpo humano à nicotina e eliminar todos os riscos do fumo, também elimina 100% do desejo de fumar.
https://nutri-medi.com/nicoquit-caps-funciona/
Como NicoQuit Caps Funciona?
Com anos de experiência em pesquisa, os melhores pesquisadores da Harvard University nos Estados Unidos projetaram meticulosamente uma fórmula 100%. No entanto, a fórmula de NicoQuit Caps contém ingredientes selecionados, para que possam garantir a eliminação da dependência da nicotina (a principal substância do cigarro).
A exemplo disso, o NicoQuit Caps possui em sua formulação, dentre outros o magnésio quelato, um potente mineral com propriedades desintoxicantes para nosso corpo. Dessa forma, O magnésio quelato protege as nossas células do estresse oxidativo causados pelas substâncias presente no cigarro, dentre elas à Nicotina.
Nicoquit Caps é seguro à saúde? É comprovado?
Sim, NicoQuit Caps funciona como um suplemento alimentar testado e comprovado! Além disso, não apresenta riscos para a saúde e proporcionará um tratamento rápido e gradual para eliminar o tabagismo ao longo da vida. Além disso, o resultado é uma melhor qualidade de vida e melhor estado de saúde e psicossocial. Veja mais detalhes sobre como parar de fumar aqui.
Quais os Benefícios de NicoQuit Caps?
O Nicoquit Caps já ocupa o primeiro lugar no ranking de cessação do tabagismo e é registrado no Ministério da Saúde e com Autorização da Anvisa. Portanto, ao contrário de outros produtos do mercado, NicoQuit Caps é de fato eficaz. Além do efeito anti-ansiedade que pode eliminar toda ansiedade e estresse de uma forma específica, também possui ingredientes 100% naturais, e a fórmula contém ingredientes únicos e únicos
Desta forma, alguns ingredientes cuidadosamente selecionados após anos de pesquisa podem trabalhar juntos para garantir a desintoxicação rápida e eficaz de todas as células do nosso corpo. Além disso, não prejudicam a saúde porque são naturais.
Por que tomar NicoQuit Caps?
Sob esta circunstância, existem atualmente vários lugares, ambientes e lugares onde as pessoas querem permitir que os fumantes acendam seus cigarros. Se você já passou por isso, então saberá do que estou falando. Portanto, o uso de Nicoquit Caps pode eliminar essas restrições.
Malefícios que o cigarro podem Causar
Infelizmente, o cigarro ainda é uma droga legal no país. Devido aos constantes danos ao nervo laríngeo recorrente, pode nos trazer inúmeras doenças, de câncer de boca a pulmão, distúrbios de voz (diminuição da voz) e Você evita essa situação, eu apresento o NICOQUIT CAPS, ele vai te trazer uma melhor qualidade de vida e felicidade. Portanto, não demore! Compre agora e pare de fumar nos próximos meses! 100% garantido! Ou devolva tudo.
NicoQuit Caps possui contra indicação ou efeitos colaterais? Qual sua composição?
NicoQUit Caps usa ingredientes naturais para livrá-lo dos problemas do cigarro. E por ser totalmente natural, não causará efeitos adversos em nosso corpo, por exemplo, pode ser comprado e tomado sem receita médica. Além disso, Nicoquit é um suplemento mineral à base de quelante de magnésio, que elimina a necessidade de nicotina, reduz o estresse, melhora o humor e obtém resultados significativos nas primeiras semanas de uso do produto.
NicoQuit Caps é Aprovado pela Anvisa?
SIM. O Nicoquit Caps é aprovado pela Anvisa nos termos da RDC 240 de 26/07/2018, sendo assim fica dispensado de registro, pois é avaliado como 100% Seguro para o consumo da população, isto é, Natural. Mas também pelo Ministério da saúde. Consulte aqui.
Qual a reputação do produto no Reclame Aqui?
NicoQuit Caps foi totalmente aceito por seus usuários, fiz uma pesquisa detalhada no site oficial da declaração aqui, verifique o seguinte. No entanto, até o momento, não houve reclamações sobre validade, prazo de entrega e outras reclamações. Além disso, isso se deve à alta qualidade do produto, aliada ao atendimento eficiente e à equipe de logística, a Nicoquit Caps não tem reclamações no Reclame Aqui, e esperamos que essa situação continuou por décadas. olhe aqui.
Onde e como Comprar o produto?
O NicoQuit são vendidas apenas no site oficial. Para adquirir seu produto, basta clicar no botão "Comprar" abaixo. Além disso, vendemos apenas neste site porque cada lote de estoque que recebemos se esgota rapidamente. No entanto, como não podemos fornecer produtos de qualidade a todos os pontos de venda, o volume de vendas não nos permite vender em farmácias ou lojas de produtos naturais.
Obs: Devido ao grande sucesso do lançamento, você será infringido por produtos similares ou falsificados ao comprar mercadorias em outras lojas online. Portanto, não fuja do PIRAtaria , e não utilize OLX, Mercado Livre, Americanas, Submarinos, Amazon ou qualquer outro não Compre o produto oficial aqui.
Se o Produto não Funcionar para mim?
Sim, se você não gostar do NicoQuit por algum motivo, devolveremos 100% do valor que você pagou! Portanto, não há razão para que você não compre NicoQuit hoje!
Observação: não pense que esperamos apenas obter seu dinheiro com esta venda, mas também esperamos que você esteja satisfeito, para que possa acreditar que somos os melhores!
Minha Opinião Sincera como Farmacêutico
Para mim, como Farmacêutico posso falar com toda propriedade, de fato NICOQUIT é um produto de extrema qualidade. Contudo, apresenta resultado altamente elevados para quem precisa realmente PARAR DE FUMAR e ter mais saúde e qualidade de vida como um todo. Dessa maneira, Como já dito anteriormente, Nicoquit tem em sua formulação o magnésio quelato que é responsável por desintoxicar todas as nossas células limpando e eliminando os resquícios do tabaco. Além disso, todo o stress, nervoso e desejo pelo cigarro irá se desfazendo aos poucos com a ação contínua de nicoquit caps.
Além disso, o produto é totalmente natural não apresentando qualquer efeito colateral, e não ser necessário indicação médica ou receituário. Portanto, pode confiar somos o nº 1 do Brasil em vendas! Dessa forma, estamos garantindo o que há de melhor quando o assunto é qualidade !!
TAG: NicoQuit - NicoQuit Caps - NicoQuit Caps funciona - NicoQuit Caps valor - NicoQuit Caps bula - NicoQuit Caps é bom mesmo para parar de fumar - NicoQuit Caps como tomar - NicoQuit Caps como usar -NicoQuit Caps onde comprar - NicoQuit Caps funciona mesmo - NicoQuit Caps mercado livre - NicoQuit Caps preço - Nicoquit Caps Anvisa - Nicoquit Caps Reclame aqui - Nicoquit Caps Composição.
https://nutri-medi.com/nicoquit-caps-funciona/
submitted by No_Guarantee443 to u/No_Guarantee443 [link] [comments]


2020.08.13 22:36 No_Guarantee443 Glicozol Funciona ?

Glicozol Funciona ? [ Desconto Exclusivo ]
Suplemento Nutracêutico de Alta performance que Controla a Diabetes Naturalmente – COMPROVADO! Glicozol FUNCIONA
Bem-vindo a este artigo. Se você chegou a este ponto, é porque definitivamente está procurando maneiras de controlar o diabetes, não é? Bem, devo dizer-lhe, você veio ao lugar certo! Antes de começar, vamos entender o conceito básico do que é diabetes, para que assim possamos entender como o glipizol controla o diabetes.
O que é Diabetes?
Segundo o Ministério da Saúde, o conceito é objetivo. “O diabetes é uma doença causada pela produção ou má absorção de insulina. A insulina é um hormônio que regula a glicose no sangue e garante energia para o organismo. A insulina é um hormônio que tem função de decomposição. A molécula de glicose (açúcar) a converte em energia para manter as células do nosso organismo. "
O que é Glicozol?
O GLICOZOL é um suplemento alimentar em cápsula feito a partir de matéria-prima importada e 100% natural, que pode controlar a regulação da glicose e do pâncreas na liberação de insulina.
Glicozol é seguro à saúde?
Sim, recomendamos totalmente o uso do Glioxol por não ter efeitos colaterais e por ser feito de matérias-primas naturais, portanto a compra e o uso deste produto não são restritos por receitas médicas.
https://nutri-medi.com/glicozol-funciona/
Como Glicozol Funciona?
O glizolizol atua atuando na suposta diminuição do nível de açúcar no sangue e, portanto, atua na diminuição do diabetes. O etilenediazol atua nas células de Langhergs do pâncreas e, mais especificamente, nas células Betas. Como essas células liberam insulina regularmente, o diabetes será totalmente controlado.
Quais os Benefícios de Glicozol?
E o melhor de tudo Glicozol é aprovado pela ANVISA
>>Comprar Glicozol Com Desconto<<
Qual o segredo que faz o Glicozol ser o número 1 em vendas do Brasil?

Quando o assunto é um controle diabético, o glizolizol é absolutamente excepcional. Além disso, o Glizolizol foi autorizado pela ANVISA e pelo Ministério da Saúde, e atualmente ocupa o primeiro lugar no controle do diabetes. Ao contrário de outros produtos do mercado, o Glizolizol é muito eficaz porque controla a libertação gradual dos níveis de insulina de uma forma específica, pois tem ingredientes 100% naturais e contém ingredientes e fórmulas únicas.

Dessa forma, alguns ingredientes cuidadosamente selecionados após anos de pesquisa podem trabalhar juntos para garantir a liberação gradual e de longo prazo de insulina nas células humanas, e de forma rápida e eficaz. Portanto, garantindo assim o controle adequado do diabetes. Além disso, são totalmente naturais e não farão mal à saúde
Por que tomar Glicozol?

O diabetes é uma das maiores causas de morte no planeta, não é fácil se livrar dele, não é? Nesse sentido, o Glicozol está no mercado e trabalha com uma fórmula única que lhe trará muitos benefícios, entre eles o controle da liberação de insulina e consequentemente o controle do diabetes.

Atualmente, são várias as doenças causadas pelo diabetes, entre elas cegueira noturna, dificuldade de cicatrização, hipertensão, hipercolesterolemia, oxidação celular e, nos casos mais graves, perda de visão ou mesmo amputação. Portanto, se você mudar de diabetes, use Glycozol para controlar de forma rápida e gradual sua condição.
Quais os Malefícios a Diabetes podem Causar?
O diabetes é atualmente uma das doenças mais difíceis de curar, mas existem inúmeros tipos de medicamentos e suplementos dietéticos que podem controlar os níveis de açúcar
no sangue acima do normal, proporcionando assim uma qualidade de vida acima da média. Portanto, o glioxal pode controlar esta doença.
Nesse sentido, o desequilíbrio glicêmico causado pela baixa liberação de insulina pode evoluir para diabetes, apresentando diversos riscos à saúde humana.
GLICOZOL tem uma fórmula natural sem efeitos colaterais. O produto é adequado para todos os públicos. Além disso, para os idosos, pessoas que tenham doenças congênitas ou que façam uso regular de determinados medicamentos, é necessário consultar um médico antes de começar a usá-los. Além disso, é um produto totalmente seguro, lançado pela ANVISA, com fórmula 100% natural. O GLICOZOL não contém glúten.
Glicozol é Aprovado pela Anvisa?
Além de ser um produto 100% natural, o GLICOZOL está de acordo com todas as normas da agência nacional de vigilância sanitária (ANVISA).
AUT. ANVISA: 6.04.572-1
REG. MS 6.4572.0068.001- 5
Qual a reputação do produto no Reclame Aqui?
O Glicozol foi totalmente aceite pelos seus utilizadores, fiz uma pesquisa detalhada no site oficial de reclamações aqui, por favor verifique os seguintes resultados. No entanto, até o momento, não houve reclamações com relação à validade, prazo de entrega e outras reclamações.
Além disso, o excelente feedback se deve à alta qualidade do produto, aliada ao atendimento eficiente e à equipe de logística, a Nikokit Caps não tem reclamações no Reclame Aqui, e esperamos que essa situação continuou por décadas.
Como Tomar Glicozol? Quanto tempo Glicozol demora para dar resultados ?
O GLICOZOL é usado três vezes ao dia, de preferência antes das refeições. É recomendado usar este produto continuamente por pelo menos 3 meses. Além disso, os resultados são visíveis no primeiro mês.
Sugestão: 1 Cápsula no café da manhã 1 Cápsula no Almoço e 1 Cápsula no Jantar. (Leandro Alves Farmacêutico - CRF/MT: 4463) Autor do Blog
Onde e Como Comprar o produto? Glicozol Funciona mesmo?
Sim, o Glicozol é vendido apenas no site oficial. Para adquirir seu produto, basta clicar no botão "Comprar" abaixo. Além disso, só vendemos neste site porque cada lote de estoque que recebemos se esgota rapidamente. As vendas não nos permitem vender em farmácias ou lojas de produtos naturais porque não podemos fornecer produtos de qualidade a todos os pontos de venda.
Observação: devido ao grande sucesso do lançamento, você será vítima de produtos semelhantes ou falsificados ao comprar produtos em outras lojas online, portanto, evite o Pirataria. Original do produtor!
Se o Produto não Funcionar pra mim? A compra tem Garantia? Glicozol Funciona
Sim, se por algum motivo você não gostar de Glicozol ou não conseguir o efeito desejado, reembolsaremos 100% do valor pago! Portanto, não há razão para que você não compre glioxal hoje!
Atenção: Não queremos apenas seu dinheiro, mas também a sua satisfação, portanto pode confiar somos os melhores !!
Qual a minha Opinião Sincera como Farmacêutico se Glicozol Funciona mesmo?
Para mim, como farmacêutico, posso falar de tudo. Na verdade, o Glizolizol é um suplemento nutricional de alta qualidade. Na verdade, é melhor para quem realmente precisa controlar o diabetes e ter uma melhora geral Muitas pessoas saudáveis ​​e com qualidade de vida apresentam resultados benéficos.
Além disso, como já foi dito, o glioxal possui ingredientes naturais em sua fórmula, que atuam juntos no controle da liberação de insulina do pâncreas, portanto, considera-se o controle total da glicemia (glicose com concentração sérica superior a 99 g / dl Prejudicial). As células do nosso corpo. Nesse sentido, o nível adequado de glicose circulando em nosso corpo é grato. Glicozol traz a solução para controlar os níveis de açúcar no sangue e diabetes.
Além disso, não tem efeitos colaterais além de ser completamente natural e não requer indicações médicas ou receitas. Você pode acreditar que somos o número um em vendas no Brasil! Portanto, agora você não tem nenhuma razão para não ingerir este poderoso alimento saudável. Portanto, garantimos fazer o nosso melhor em qualidade! ! !
submitted by No_Guarantee443 to u/No_Guarantee443 [link] [comments]


2020.08.09 18:07 PVBerri [Dúvida séria] Parente que começou a investir em Marketing Digital e Infoprodutos

Olá pessoal do sub, tenho um parente de 18 anos que começou, faz dois meses, a investir em Marketing digital por meio das plataformas do Google e Facebook Ads. Ele faz a divulgação de infoprodutos (cursos digitais de terceiros) por meio de anuncios. Quando eu vi sobre o que se tratava, desconfiei pois nao encontrei uma produção de valor por meio dos anuncios, e essa estrutura de venda de cursos dos outros me lembrou uma "pirâmide". Ele me mostrou videos falando ao contrário (como esse - https://www.youtube.com/watch?v=vKlnXMunWY0). Gostaria de saber a opinião de vocês sobre o assunto, se esse tipo de negócio é sustentável à longo prazo e sugestões para ele que está começando agora a tentar investir. Obrigado!
submitted by PVBerri to investimentos [link] [comments]


2020.08.09 18:02 pipoca-frita Opinião acerca de plano de poupanças/investimentos

Olá a todos,
Tenho 30 anos e comecei a aprender acerca de finanças pessoais/investimentos no início deste ano. Estou muito contente com tudo o que já aprendi até agora, mas ao mesmo tempo um pouco frustrado por ter demorado tanto até começar e por não ter tido nenhuma base académica nestes temas.
Com base no que tenho lido no reddit e em outros sites, gostaria de saber a vossa opinião acerca da minha estratégia para gerir as poupanças.
Background: Emigrante na Alemanha desde o ano passado, Software Engineer, 55k por ano, cerca de 2700€ líquidos por mês. Vivo com a minha namorada, que está a fazer o doutoramento e espera acabar daqui a 2/3 anos. Depois disso, ainda não sabemos para onde vamos, mas não me estou a ver voltar a Portugal tão cedo, devido ao grande gap salarial.
Fundo de emergência: Neste momento 10000€ em certificados do tesouro. Para além de uma eventual situação de desemprego, pode sempre surgir a necessidade de me mudar para outro sítio e eventualmente precisar de um grande bolo para despesas iniciais (por exemplo 2/3 meses de renda para um depósito, viagens, mobília nova e afins)
Poupança mensal: 1100€
Depois de ter visto o AMA do Doutor Finanças no /literaciafinanceira, estou a pensar organizar a minha poupança mensal em 3 partes:
Curto prazo: 250€ (23%) depositados numa conta à ordem separada. Para despesas grandes que podem surgir todos os anos, esperadas (férias) ou inesperadas (ter de comprar um telemóvel/portátil novo para substituir um avariado, por exemplo). Inicialmente estou a alocar estes 250€ até ter +- 3000€ de parte, depois posso reduzir para 200 ou menos.
Médio prazo: 300€ (27%) depositados em certificados de aforro. Para despesas maiores que se possam antever nos próximos anos, como comprar casa e ter dinheiro para a entrada, carro, casar, ter filhos, etc. Embora não saiba quando é que irei precisar deste dinheiro exatamente, não o quero investir em algo mais arriscado.
Longo prazo: 550€ (50%), em que o objetivo principal é juntar dinheiro para a reforma, embora ainda tenha de planear o horizonte temporal de quando o fazer tendo em conta possíveis aumentos salariais. Para além disso, estou a antever uma salganhada de chatices com a segurança social de vários países, de modo a que estou a considerar ter apenas as minhas poupanças como um worst-case scenario e tudo o resto ser bónus.
Destes 550€, quero investir 80% (440€) mensalmente num único ETF (iShares Core MSCI World através da minha conta na Degiro). Os restantes 20% (110€) são postos de parte todos os meses e depositados em certificados de tesouro a cada 1000€ (montante mínimo para depósito). Tenho lido muitas sugestões acerca de ETFs para bonds por aqui e no /eupersonalfinance, mas ainda não perdi muito tempo a estudar o assunto.
O que acham deste plano? Gostava de ouvir a vossa opinião. Antes de ter postado isto passei imenso tempo a ler e a aprender em discussões neste tipo de threads, pelo que fico feliz se alguém mais retirar alguma coisa do que vier aqui parar.
submitted by pipoca-frita to financaspessoaispt [link] [comments]


2020.08.05 16:45 logicandproportion Vasectomia

Olá pessoas do reddit. Então passa-se o seguinte...
Tenho 24 anos e este ano faço 25. Já desde os meus cerca de 13/14 anos tenho bem assente que não vou ter filhos, decisão que ao longo dos anos foi pensada e aprofundada, pelo que hoje não há absolutamente nenhuma incerteza à cerca disto, e a minha vontade é clara: pretendo fazer uma vasectomia aos 25 anos, idade em que é legalmente possível fazê-lo.
Pelo que sei e tenho pesquisado, em Portugal não é um procedimento popular, e os próprios médicos recusam-se muitas vezes a fazer vasectomias a homens com menos de 40 e sem filhos. Os moralismos que não deviam existir, mas cá estamos.
Há aqui alguma alma que tenha conhecimento ou experiência no assunto em questão e esteja disposto a partilhar?
Sei que fazer pelo SNS é uma tarefa hercúlea, por isso se alguém souber de uma clínica privada em que possa fazer sem grandes julgamentos (deverá bastar a minha expressa vontade) e de preferência que não me esvazie a conta das poupanças (apesar de eu considerar um excelente investimento a longo prazo), eu ficaria extremamente grato se me puderem ajudar.
Conheço bem o procedimento em si, pelo que a minha dúvida neste momento é ''onde?''.
Obrigado desde já!
submitted by logicandproportion to portugal [link] [comments]


2020.07.31 17:39 cassiodpg Como funciona a tributação para clínicas médicas? ContReal - Escritório de Contabilidade em São Paulo

Entenda Como Funciona A Tributação De Clínicas Médicas E Se Mantenha Distante De Problemas Com O Fisco!

Acabe de uma vez por todas com suas dúvidas sobre tributação e mantenha sua clínica em dia com as obrigações!
Gerenciar uma clínica médica demanda atenção com dois pontos distintos: a gestão da clínica em si e o cuidado que é preciso ter com os pacientes.
Entretanto, conciliar esses dois aspectos é extremamente complexo e, assim, não é incomum vermos um deles ficando cada vez mais de lado, geralmente a gestão…
Contudo, apesar da saúde e bem-estar humano realmente ser uma prioridade, sem uma gestão efetiva, a saúde da sua clínica irá se tornar frágil e os riscos são altos, especialmente quando se trata de assuntos mais complexos, como a tributação.
Mas, justamente por sabermos disso que preparamos este artigo para te ajudar com o primeiro passo: entender como funciona um dos principais aspectos da sua gestão para poder cuidar do mesmo com eficiência.

Tributação – O detalhe que, se deixado de lado, pode acabar com o futuro da sua clínica

Parece meio drástico falar assim, porém, a tributação realmente é importante e causa grandes impactos.
A tributação funciona por meio dos chamados regimes tributários e se trata das obrigações que a sua clínica médica, como empresa, tem para com o Governo.
Esse aspecto é fonte de muitas dores de cabeça pela complexidade das leis que regem a tributação, pelos valores exorbitantes das alíquotas e pela falta de conhecimento específico de muitos gestores de clínicas, o que gera duas situações ruins:
  1. O não pagamento dos tributos adequados no prazo, gerando multas e problemas com o Fisco;
  2. O pagamento excessivo de tributos, o que prejudica diretamente o caixa da clínica.
Para evitar ambas situações, é preciso conhecer um pouquinho mais sobre os regimes de tributação e como garantir que sua clínica esteja enquadrada no ideal.

Quais são os tipos de tributação?

Eles se dividem, de forma geral, em três:
Cada um deles possui uma série de características e particularidades que podem ser benéficas ou desvantajosas para sua empresa.

Lucro Presumido

O cálculo da alíquota neste regime é feito com base no valor de lucro que presume-se que a sua clínica obteve.
Pode ser vantajoso se o lucro que a clínica realmente foi superior ao presumido.

Lucro Real

Aqui, o cálculo da alíquota é feito com base no valor real de lucro que a sua clínica obteve, por isso, é um dos mais complexos e utilizado por grandes empresas.

Simples Nacional

Tem como simplicidade a unificação de diversos impostos em apenas uma única guia, o DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional.
MEIs estão automaticamente neste regime.

Como escolher o regime de tributação mais adequado?

Não tem como simplesmente apontar um regime e dizer que é o mais adequado sem uma análise precisa que indique isso.
Pois é assim que muitas clínicas médicas – e demais empresas – acabam no regime inadequado e pagando mais impostos do que realmente deve.
Sendo assim, para não ter problemas com a tributação, o planejamento tributário é indispensável!
Por meio dele, são analisadas as especificidades da sua clínica médica, com o intuito de enquadrá-la no melhor regime.

A contabilidade é o caminho para a tributação não ser um problema!

Um planejamento tributário efetivo e demais aspectos importantes da sua gestão demandam a expertise de profissionais contábeis preparados para atender clínicas médicas…
E é isso que nós, da Cont Real, somos!
Você pode contar conosco para garantir que sua gestão funcione de forma impecável e seja possível focar em atender o máximo de pessoas com alta qualidade em sua clínica.
Basta contar conosco.
Conheça a ContReal
A SERVIÇOS CONTÁBEIS REAL, atualmente a Rua Engenheiro Prudente, nº 465, Vila Monumento – São Paulo, nasceu em 1978, através da união dos Sr. LUIZ FERNANDO ALVES DE LIMA, e Sr. CARLOS MARIJAS, já colegas de trabalho no ramo de Contabilidade em São Paulo, com o intuito empreendedor de constituir uma empresa de SERVIÇOS CONTABEIS, diferente das existentes até então, mais ágil, profissional e comprometida com os interesses de nossos clientes. E foi assim ao longo dos mais de 40 anos que imbuídos desta filosofia, aliada a constante busca pela atualização e melhorias dos serviços através da tecnologia e inovação chegamos onde estamos.
Site: https://contreal.com.bcomo-funciona-a-tributacao-para-clinicas-medicas/
Conheça nossa empresa: https://contreal.com.bescritorio-contabil-em-sao-paulo/
submitted by cassiodpg to u/cassiodpg [link] [comments]


2020.07.27 02:33 RealityCompetitive24 Como se relacionar amorosamente sendo jovens e com a vida muito instável

(Conta throw away pois meu namorado me segue na minha conta principal)
Gente primeiramente queria dizer que essa é uma questão minha que trato na terapia tem um tempo, mas também queria saber a opinião de vocês.
Estou em um relacionamento de 9 meses com um menino que amo muito e gosto do nosso namoro em vários aspectos. Porém tem um problema que pesa bastante pra gente: estamos em momentos da vida muito diferentes e sentimos dificuldade em conciliar nossos objetivos individuais com os objetivos de casal, tanto ele como eu.
Eu nasci em uma cidade x do nordeste e faço faculdade e estagio numa cidade y do sudeste. Antes da pandemia, voltava geralmente 2x pra minha cidade natal ver amigos e familia. Atualmente estou temporariamente na casa dos meus pais na minha cidade x, trabalhando em homeoffice e com aulas ead, vim pra cá bem no inicio da pandemia. Assim que minhas aulas ou o estagio voltarem, pretendo regressar a cidade y.
Meu namorado é da minha cidade x e mora com a mãe. Apesar de frequentarmos um ciclo social próximo, nós nos conhecemos a distância quando eu estava na cidade y. Nosso namoro começou quando ele resolveu viajar pra me conhecer na cidade y. Desde então, revezamos nossos encontros... ele passa um mes comigo la, nas minhas ferias volto pra minha cidade (sim haja dinheiro pra passagem risos). Porém a distância sempre foi um problema pra nós e sempre que tentamos fazer planos para ficarmos definitivamente juntos no futuro, algo no presente acaba não saindo como o esperado.
Estamos passando a pandemia juntos na casa da minha mae desde que cheguei em março, esta sendo o maior tempo que já passamos juntos. No inicio do relacionamento ele tinha planos de morar comigo na cidade y. E no inicio estava tudo certo, porem ele começou a enfrentar alguns problemas familiares que o fez começar a considerar outras possibilidades.
Para ele se mudar pra cidade y, precisa de apoio financeiro da familia e isso está completamente fora de questão agora. Eu também sinceramente não queria voltar a minha cidade natal e gostaria de fazer minha vida na cidade y, pois tambem tenho muitos problemas na minha família e nao gosto da minha cidade natal, apesar de suporta-la. Eu tenho meu dinheiro, mas também dependo da minha família financeiramente em alguns aspectos... tenho sonhos de aqui a algum tempo fazer um intercambio também. Já estou perto de me formar e sinceramente nao sei bem o que vou fazer depois disso, estava pensando em arranjar um outro trampo na cidade y e tentar me manter financeiramente por lá (inclusive estou fazendo varias entrevistas pra tentar mudar de estagio)... mas tudo isso depende de circunstancias externas, se eu nao conseguir um emprego talvez precise voltar para a cidade x.
Nós ja nos abrimos e conversamos bastante sobre isso e nao conseguimos um consenso sobre o nosso futuro como casal... parece que os caminhos e quereres estão divergindo demais. Porém, nos amamos e temos um sentimento forte um pelo outro e ai que fode tudo, principalmente pra mim.
O x da questao é: A ideia de um término é insuportável pra mim. Mesmo que ele não precise ser agora, a minha mente acaba antecipando esse evento e eu me sinto triste. Nós já conversamos sobre isso abertamente e deixamos como possibilidade no futuro. Mas é simplesmente uma ideia que me da um nó gigante na garganta. É algo tipo "Não quero terminar com voce de jeito nenhum mas as circunstâncias externas não estão ajudando e não estou conseguindo enxergar outras saídas a muito longo prazo." Eu sei que talvez pareça besteira, eu me sinto muito besta inclusive. Mas é uma questão muito delicada pra mim. Só de pensar as lágrimas começam a cair. Estamos dispostos a fazer tudo o possivel dentro de um limite pra que a relação dure, mas só a vontade e o amor não são suficientes, dependemos de outras circunstancias.
Esse não é o primeiro relacionamento que tive, mas é o primeiro que tenho na fase adulta e mais concreto. Eu nunca tive um relacionamento que durasse mais de um ano, mas os terminos ate entao foram por questoes pessoais minhas e não por circunstâncias externas. Sinceramente, nao sei muito bem como fazer as relações durarem nesse sentido e me pego pensando como é dificil se relacionar, principalmente no inicio da fase jovem adulta.
Enfim é isso gente, em suma: tenho muita dificuldade de lidar com essas incertezas no relaciomento e com as frustrações dos meus planos de vida a 2, mas a ideia de terminar o relacionamento também é assustadora pra mim... parece que estou aproveitando o tempo que tenho com ele pra deixar a vida definir nossos destinos, mas essa ideia do termino é um monstrinho que fica assolando minha mente e me faz ficar triste.
Eu cheguei a um ponto que ele nota que fico triste sempre que ele fala do futuro dele sem me incluir. Dai ele me pergunta se ta tudo bem e se eu quero conversar com ele... e eu nego e explico que nao tem o que conversar pois ja conversamos sobre o assunto... Pq cara o que vou fazer sabe? O que eu vou falar? Entendo que é um sentimento que tenho que lidar sozinha, mas sinceramente não sei como.
submitted by RealityCompetitive24 to desabafos [link] [comments]


2020.07.23 10:19 diplohora Bruno Rezende : meus estudos para o CACD Parte III – A PREPARAÇÃO INTRODUÇÃO pt 4

Há três tipos de candidatos no CACD: os que sabem muito, os que sabem um pouco e os preguiçosos. Os aprovados vêm, sempre, de um dos dois grupos iniciais (ainda que muita gente desses dois grupos fique de fora, por motivos óbvios de limite de vagas). Os preguiçosos não passam pelo simples motivo de que mesmo uma metodologia de estudos mais objetiva e pragmática, como a que eu indicarei a seguir, n~o tem o objetivo de “levar com a barriga”. Mesmo se você fizer cursinho de todas as matérias e ler todos os textos e livros recomendados, há grande possibilidade de não passar por outra razão também muito simples: o que mais importa é o estudo individual. Sozinho, o cursinho não aprova ninguém. Não ache que só fazer o cursinho adiantará muita coisa. Veja como os cursinhos são lotados e quantos candidatos passam por ali, todos os anos. De todos esses, apenas uma parcela pequena é aprovada, e, sem dúvida, você não encontrará preguiçosos nessa parcela. “Ah, mas eu conheço Fulano que passou, sem estudar muito”. Tudo bem, mas não estudar muito não é sinônimo de ser preguiçoso. Preguiçoso é quem acha que fazer o mínimo já está de bom tamanho, e não está.
Para ser aprovado, saber é importante, mas mostrar que sabe é fundamental. Eu disse que passam dois tipos de candidatos, os que sabem muito e os que sabem um pouco, porque só saber algo também não significa nada. Uma pessoa que soubesse todas as matérias do concurso de cor poderia não ser aprovada, e um sujeito que estudou um pouco de cada coisa pode passar. Para a primeira fase, não há muito segredo. O estilo do Cespe é cruel, e sei que muita gente boa fica de fora, mas são as regras do jogo. Infelizmente, não há melhor estratégia que estudar bastante e resolver provas anteriores. Nas provas discursivas do CACD, o que faz a diferença é sua capacidade de demonstrar conhecimento (mesmo que você não o tenha). Em algumas questões da terceira fase, por exemplo, você para e pensa: “o que é isso? Por onde vou começar? Nunca ouvi falar disso”. É nessas horas que a diferença entre o que você sabe e o que você consegue transmitir importa muito. A forma de apresentação das respostas, a sequência lógica de ideias, sua argumentação, tudo isso pode ser mais importante que o conteúdo que você está transmitindo. Muitos podem achar que isso significa que você tem de “escrever difícil”, o que n~o tem nada a ver. Um texto bom e claro n~o tem de ser difícil de ler e cheio de expressões “eruditas”, pelo contrário. O que, realmente, faz a diferença e garante a aprovação, de acordo com meu ponto de vista, é sua capacidade de demonstrar conhecimento, mesmo que você não o tenha, de maneira clara e sintética. Para isso, há estratégias distintas em cada uma das fases do concurso, o que será detalhado a seguir.
Depois de ser aprovado na primeira fase, você tem muito pouco tempo de estudo até a segunda, o que faz essencial começar a preparação para a prova de Redação o quanto antes possível (assim que você conferir o gabarito provisório e perceber que está próximo à média estimada para aprovação, normalmente acima de 60%, comece sua preparação). Não invente de ler todos os livros clássicos da literatura brasileira nesse período curto de preparação. Seja pragmático: a essa altura do campeonato, acho que apenas apostilas ou livros de ensino médio de Literatura e o Introdução ao Brasil: um Banquete nos Trópicos (Lourenço Dantas Mota) podem valer a pena. Não li nenhum livro da bibliografia antiga (Darcy Ribeiro, Gilberto Freyre, Sérgio Buarque de Holanda e companhia), só estudei pelos livros indicados acima. Mais detalhes serão dados na Parte IV. Na segunda fase, uma das coisas mais importantes é não errar gramática. Atenção aos três erros mais comuns dos alunos no cursinho preparatório para a segunda fase: regência (incluindo uso do acento grave), colocação pronominal e pontuação (especialmente a vírgula). Para isso, faça todos os exercícios propostos no cursinho preparatório (por mais chatas que sejam as propostas), veja o máximo de espelhos antigos que conseguir (não consegui quase nenhum, apenas alguns muito antigos, que não serviram para muita coisa; de preferência, veja espelhos com vários erros, para você aprender o que não deve repetir).
Aproveitando o assunto “espelhos de prova”, minha opini~o é que s~o muito úteis para as provas de idiomas: Redação/Português, Inglês, Espanhol e Francês. Para as demais provas, acho bastante inúteis. Em primeiro lugar, nas provas discursivas de Política Internacional, de História do Brasil, de Geografia, de Direito e de Economia, não há nenhuma marcação feita pela banca corretora. Assim você não sabe o que está certo e o que não está, o que foi valorizado pela banca e o que foi apenado, nada disso. Para essas matérias, muito mais úteis que os espelhos de prova são as respostas selecionadas nos Guias de Estudos publicados anualmente pelo IRBr (todos os Guias de Estudos, desde o de 1996, est~o disponíveis na pgina do “REL UnB” (http://relunb.wordpress.com). As respostas selecionadas são aquelas que corresponderam ao que a banca julgou ser a melhor resposta fornecida à questão por um dos candidatos aprovados. Assim, você saberá o estilo de escrita, a organização e os argumentos preferidos da banca corretora. Minha recomendação quanto aos Guias de Estudos é: leia, estude e faça um fichamento de todos os guias mais recentes (antes de 2003 não é tão importante, mas pode valer a pena passar o olho nas questões, pelo menos). Esse fichamento será muito útil nos estudos de revisão para a terceira fase. Para a prova de Redação, é evidente que não é necessário fichar as respostas, mas ter uma noção dos conteúdos cobrados pode ser importante. Na segunda fase de 2011, havia uma questão sobre preconceito racial. Como eu me lembrava de haver visto, na prova de segunda fase de 2010, uma quest~o sobre o “equilíbrio de antagonismos” em Gilberto Freyre, adicionei essa referência em meu texto, o que parece ter agradado a banca, já que foi minha melhor nota de texto (fiquei com 18,07/20 nesse exercício – 10/10 em Gramática e 8,07/10 em Texto). O espelho de minha prova de Redação está disponível no “REL UnB”, indicado anteriormente.
Depois que você fizer a segunda fase, terá muito tempo até o resultado provisório, e é fundamental não esperar o resultado final da segunda. Comece a estudar para a terceira fase no dia seguinte à prova de Redação, como se já houvesse passado. É claro que muitos ficam ansiosos com a expectativa do resultado da segunda fase, mas não há mais nada que você possa fazer para essa etapa. As provas já estão nas mãos da banca, o que você precisa e deve fazer é procurar voltar toda a atenção para os estudos das matérias da terceira fase (e da quarta também, obviamente). Deixar para estudar só depois do resultado da segunda fase é enorme perda de tempo. Mesmo que você não seja aprovado, já adiantará os estudos para o concurso seguinte. Conhecimento nunca é perdido.
Passada a segunda fase, acelere o ritmo ainda mais. É muito cansativo e desgastante, mas, depois que a terceira fase começa, o tempo voa. Dividi meus estudos para a terceira fase em dois períodos: até uma semana antes do primeiro fim de semana de provas, continuei sistematizando meus fichamentos, buscando dados mais atuais de Geografia e de Política Internacional, fazendo os últimos fichamentos dos Guias de Estudos antigos etc.; na segunda-feira da semana da primeira prova, comecei a revisão das matérias daquela semana. A seguir, vou dar mais detalhes de minha preparação ao longo das semanas de terceira fase, mas, antes de tudo, deixo claro que a ordem das provas pode mudar de um ano para outro (o que acontece frequentemente).
Nosso primeiro fim de semana de provas era História do Brasil no sábado e Inglês no domingo. De segunda a sexta-feira, estudei apenas História do Brasil dia, tarde e noite. No sábado, após a prova de História do Brasil (todas as provas da terceira fase foram das 9h às 13h), almocei e estudei um pouco de Inglês (apenas revisei alguns exercícios que havia feito no curso preparatório para a terceira fase e gravei algumas palavras e expressões úteis para a redação). Inglês é um conhecimento de mais longo prazo, não senti necessidade de estudar durante a semana. Foquei só em História do Brasil mesmo.
O segundo fim de semana de provas foi de Geografia e de Política Internacional. Como Geografia é bem menos conteúdo, comecei a semana alternando as matérias, com Geografia na parte da manhã e Política Internacional à tarde e à noite. Na terça-feira, percebi que isso não ia dar certo, pois era muita coisa de Política Internacional, então deixei quarta e quinta-feira só para PI, e a sexta-feira foi só de Geografia. No sábado, naturalmente, estudei PI à tarde e à noite.
O terceiro fim de semana de provas foi de Direito e de Economia, somados às duas provas da quarta fase. Como tenho facilidade com Economia, estudei só Direito de segunda a sexta-feira. No sábado, após a prova de Direito, estudei apenas a parte de Economia Brasileira. Espanhol e Francês eu revisei apenas algumas poucas notas do caderno no domingo mesmo, entre a prova de Economia e as provas de línguas.
Nas semanas de revisão, acho que foi fundamental, em primeiro lugar, esquecer a possibilidade de ler qualquer livro novo ou coisa parecida. Eu já estava com todos os fichamentos de livros e de artigos que queria fazer prontos e passei a semana inteira lendo-os exaustivamente, grifando, decorando, revisando os fichamentos dos Guias de Estudos etc. Li artigos novos na semana da prova, sim, porque eu sabia que eram indispensáveis (e todos os que li o foram; li apenas para História do Brasil e Direito, e eles estão indicados na Parte IV), mas ler livros inteiros ou artigos que você acha que podem ser úteis pode ser enorme prejuízo.
Imprimi todos os fichamentos de livros e de artigos que eu tinha e fiz uma apostila enorme que eu carregava para todo lado. Nos dias das provas, lá estava eu com a apostila de fichamentos, lendo até o último segundo antes do início da prova.
Na realização das provas de terceira fase, acho que, em meu caso, duas coisas foram importantes para um resultado positivo: fazer letra pequena e escrever até a última linha, em todas as questões. Ainda que você não dê conta de tudo o que a questão exigia, é mais provável ter alguma coisa ali que salve. Todo mundo está cansado de saber que prova discursiva não mede, necessariamente, quem sabe mais, mas quem, além de saber alguma coisa, faz prova melhor (ou seja, quem sabe demonstrar conhecimento, ainda que não o tenha). Para isso, não há segredo. Vou insistir mais uma vez quanto à letra. Faça letra pequena na terceira fase11! Não precisa ser aquela coisa mínima que ninguém consegue ler, é óbvio, mas não faça letra grande (minha média é de 10-13 palavras por linha, acho que é um tanto razoável; menos de 10 pode ser preocupante). Você pode falar bastante coisa que não tem muito a ver com a pergunta, mas, pelo menos, o corretor verá que há muita informação ali. Lembre-se de que a forma é algo muito importante na terceira fase, tão ou mais importante que o conteúdo. Por isso, não adianta muito só responder a pergunta diretamente. Exemplificar, fazer correlações, mostrar conhecimento é, sem dúvida, muito importante.
Se você ficar nervoso na hora da prova, não sei no que posso ajudar nesse sentido, pois sou bem calmo, não sei o que é ficar nervoso antes de prova, faço-as na mesma tranquilidade que as faria se fossem em minha casa. De todo modo, acho que, se o nervosismo bater, o melhor pode ser pedir para beber água ou para ir ao banheiro, respirar fundo e essas coisas todas que eu não sei se funcionam de verdade, mas tome cuidado com o tempo. Muitos candidatos têm de fazer conclusões apressadas, pois o tempo pode ser escasso. Ao contrário do que muitos falaram, entretanto, tive tempo de sobra em todas as provas da terceira fase, mas reconheço que alguns gastam mais tempo, então cuidado com o relógio.
📷Uma coisa para a qual o cursinho preparatório para a terceira fase foi muito útil foi, especialmente, nas matérias de Política Internacional e de Direito. Os professores Paulo Afonso e Tanguy (PI), do Rio de Janeiro, e Ricardo Victalino (Direito), de São Paulo, deram dicas e palestras fantásticas, aproveitei muito do que me falaram, para responder as questões da terceira fase, ainda que indiretamente. Em Política Internacional, conceitos básicos sobre a política externa brasileira atual e as relações do Brasil com a Argentina e com a China, por exemplo, foram fundamentais em três das quatro questões da terceira fase. Em Direito, algumas considerações a respeito das teorias do Estado Constitucional Cooperativo, de Peter Häberle, e do Constitucionalismo Global, de J. J. Gomes Canotilho, foram muito úteis em duas questões da terceira fase (no “REL UnB”, h alguns artigos sobre essas teorias). Além disso, o Ricardo também sugeriu um artigo excelente, que me foi muito útil para outra questão da terceira fase, que envolvia o Órgão de Apelação da OMC (artigo: Efetividade do Orgao de Soluçao de Controversias da OMC: uma analise sobre seus doze primeiros anos de existencia e das propostas para seu aperfeiçoamento "de Marcelo Dias Varella – foi esse o artigo que, como mencionei anteriormente, li na semana da prova; eu tinha certeza de que seria importante, logo não foi perda de tempo). Nas demais matérias, muita coisa foi útil também (o professor de Economia Daniel Sousa, do Rio de Janeiro, chegou a “acertar” duas questões da prova; o professor de História do Brasil, João Daniel, também havia dado aula sobre todo o conteúdo da primeira questão da prova da terceira fase, além de algumas considerações sobre parte da segunda questão; o professor de Geografia, Thiago, também “acertou” uma questão que resolvi só com base na aula dele e ganhei pontuação integral nela)12.
11 Na terceira fase, só não é necessário na prova de Inglês.
12 Os professores do Rio de Janeiro e de São Paulo a que me referi nesse parágrafo deram aulas e palestras (presenciais ou telepresenciais) no cursinho em Brasília.
Apesar de todos esses aspectos positivos, acho que é fundamental dizer, e os próprios professores dizem isso nas aulas, que cursinho para a terceira fase não é santo milagreiro. Isso significa dizer que, ainda que acertem alguns conteúdos que serão cobrados nas provas, alguma coisa acabará passando, o que implica o fato de que a maior parcela de responsabilidade com relação aos estudos para a terceira fase está com os próprios candidatos. Além disso, mesmo quando acertam o conteúdo das questões, isso pode não significar muita coisa, já que é necessário, também, que os candidatos saibam expressar o que aprenderam de maneira clara e objetiva, nos moldes apreciados pela banca. Algum tempo antes do concurso, eu tinha a ilusão de que o cursinho de terceira fase seria o remédio para todos os males, mas sinto desapontar aqueles que também achavam isso. É importante? Sem sombra de dúvida, sem o cursinho para a terceira fase, meu rendimento teria sido bem abaixo do que foi, talvez nem fosse aprovado. De todo modo, só cursinho não aprova ninguém. A maior parte da responsabilidade pelos estudos está, em qualquer fase do concurso, com você. É exatamente por isso que julgo primordial saber estudar (o que implica saber como e o quê estudar).
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2020.07.17 19:39 UnlikelyContract Passos iniciais para um investimento a longo prazo

Boas pessoal! Desde já aviso que vou tentar manter o post o mais resumido e direto possivel para não maçar ninguém ! Peço desculpa por estar a chatear e sei que existe muita informação na net sobre o assunto , mas confesso que não tenho muita experiência em assuntos fiscais e a maior parte da informação que encontro sobre o assunto é referente aos US , e por isso gostava de pedir ajuda a compatriotas deste sub.
Para dar um bocado de background: tenho 22 anos , estudo mas tenho algum rendimento por part time e alguns side hustles. Tenciono começar a investir em ETF’s , sendo que o meu objetivo é o longo prazo , tendo noção que o tempo é meu amigo neste caso e quanto mais cedo comecar melhor .
Sendo que pretendia ter conselhos concretos vou também dar toda a informação: tenciono fazer um depósito de 500€ e começar a imvestir mensalmente cerca de 40€ na conta (de momento não consigo mais). Com isto em conta , fico em dúvida qual a melhor plataforma para realizar este tipo de investimento , sendo que os meus valores não são muito elevados. Ouço falar neste sub em plataformas que oferecem opções com dividendos muito altos , na segurança da degiro e também em plataformas que permitem a compra de ações fracionárias. Isto tudo deixa me indeciso sobre qual escolher e por onde começar. Gostaria de investir em ETFs como a SPY500 e também em algumas que englobem empresas a nível europeu e mundial de maneira a diversificar os meus investimentos.
As minhas maiores dúvidas são: .qual seria a melhor aplicação tendo em conta estes valores e o tipo de investimento.
.seria uma opção de dividendos altos melhor tendo em conta que estou a começar isto cedo?
.escolhendo a opção dos dividendos e optando por investir os dividendos de volta tenho que pagar impostos sobre os mesmos ?
Pessoal desde já muito obrigado e desculpem estar a chatear , mas tenho seguido o sub e agora que finalmente abri uma conta no banco gostava de começar a criar uma base sólida para um dia usufruir deste dinheiro !
Bom fim de semana a todos
submitted by UnlikelyContract to financaspessoaispt [link] [comments]


2020.07.13 19:12 HazzenHD Preciso desabafar sobre minha vida(Esposa e filho)

Moro no interior de SC, tenho 22 anos e uma filha de 7 meses.

Acompanho todas os desabafos aqui e muitas vezes fico com vontade de comentar, porém escrevo muita coisa,fujo do assunto as vezes, acabo apagando tudo e depois fico com peso na consciência ..
Problema 1:
Trabalho num escritório que todos tem mais de 10 anos de empresa e ganham mais do que o dobro do meu salário(ok eu tenho um pouco mais de 2 anos de empresa), porém as vezes fico indignado como o pessoal não pensa a longo prazo, não quer se envolver para fazer melhorias, apenas fazer o diário e é normal pegar pessoas no whatsapp, lendo jornal, porém quando é solicitado para fazer alguma atividade leva tempo e o gerente parece seguir a mesma linha, parece que se eu falar de alguém para ele, não levará a nada..
Estou em alguns projetos que dependem dessas pessoas porém o projeto não anda por que elas não desenvolvem suas atividades e eu sou cobrado..
Isso me deixa muito puto, sinto que deveria ser mais valorizado pelo que eu faço, porém buscar outro emprego não é opção agora.
Problema 2:
Desde que minha filha nasceu, decidi que ela não iria trabalhar tão cedo e ia cuidar da casa e da filhota, porém é normal eu chegar em casa e ver que está tudo uma bagunça( e quando eu cobro, parece que eu sou o erro e ela fica de cara fechada o resto da noite) e que provavelmente ela ficou vendo série e vendo tik tok o dia todo, eu queria que ela fosse trabalhar(pandemia tá ferrando também), assim acredito que ela entraria nas responsabilidades e saberia administrar seu dinheiro e não achar que tudo é fácil quando quer as coisas para min. Nem transar mais eu tenho vontade, já fazem alguns meses e ela é uma mulher interessante, mais a falta de responsabilidade e interesse nas coisas me deixam mal, as vezes penso em ficar no escritório mais umas horas para não aturar..
Posso dizer que ganho pouca coisa menos que 2 salários mínimos, porém é do meu dever pagar, dentista para ela, energia, mercado, gasolina para min ir trabalhar, IPVA, netflix, remédios, fralda e tudo mais, no final das contas é difícil eu conseguir guardar alguma coisa para emergência ou mesmo eu desfrutar de alguma coisa e se eu reclamo que ela gasta muito, é o mesmo drama de quando peço para ela limpar a casa.

Sinto que tenho dever de cuidar da minha filha e ela quase não me da gasto, porém minha esposa todo dia é uma dor aqui uma dor ali, queria que eu comprasse uma cinta para correção de postura, sushi final de semana e não sei o que, cara eu fico maluco, parece que ela não da valor no meu dinheiro, acha que tem uma fonte de grana.
E tenho 100% de certeza que eu sozinho sou muito mais organizado que ela, para fazer um almoço ela deixa as coisas tudo em cima da mesa depois que usa, passa na frente e parece que não vê..

Realmente eu sei que eu casei mal, casei mal por que to seguindo a obrigação de ser pai e não abandonar minha filha, não era para ter esse filho, porém aconteceu, eu vacilei e agora tenho que pagar, mais sinceramente, acho que não vou aguentar mais um ano do lado dessa pessoa, eu acho que se eu pagar metade do meu salário em pensão eu vou viver mais tranquilo do que morando junto.

Eu sei que escrevi demais, porém faz tempo que guardo isso para min e vivo aflito, a única coisa que me tira do sério um pouco é jogar alguns jogos e dormir. Nem tenho mais vontade de lavar o meu carro que eu lavava duas vezes por semana, agora é uma vez no mês e olhe lá.
submitted by HazzenHD to desabafos [link] [comments]


2020.07.11 02:40 tempodebolacast Podcast Tempo de Bola - Anderson Moura, Fernando Campos, Octavio Neto e Otavio Rodrigues

Amigos, me chamo Otavio Rodrigues e brotei aqui para divulgar o mais novo Podcast sobre futebol do mercado: o Tempo de Bola Sou produtor e comentarista do Esporte Interativo e trabalho em primeiro lugar como coordenador de conteúdos da Champions League aqui no Brasil para o EI. Junto comigo neste projeto estão:
- Octavio Neto, narrador de futebol, NFL e uma das maiores personalidades gamers do Brasil, tanto que ele é apresentador do programa EI Games no Space.- Fernando Campos, comentarista da DazN no momento e que por muitos anos foi comentarista do Esporte Interativo.- Anderson Moura, que hoje mora no Canadá trabalhando como treinador de futebol do Sporting, mas que por muitos anos também foi comentarista do Esporte Interativo. Anderson também é escritor.
O Tempo de Bola já está no seu segundo episódio e já peço desculpas desde já pelo atraso aqui no reddit. Vamos falar toda semana dos assuntos mais bombásticos da semana no mundo da bola. No primeiro episódio lançado há duas semanas o assunto principal foi a troca Arthur-Pjanic envolvendo Barcelona e Juventus. Semana passada trouxemos o Manchester United de Bruno Fernandes e a contratação de Leroy Sané para o Bayern de Munique. Apesar dos assuntos sobre o futebol internacional, não vamos deixar o futebol brasileiro de lado. Fiquem tranquilos. Tanto que o assunto desta semana envolve a inusitada contratação de Salomon Kalou para o Botafogo! Mas também não podíamos não falar da Champions League que já tem os confrontos definidos!
O Podcast será lançado sempre às terças-feiras a noite e a longo prazo pretendemos trazer programas especiais e também temos a intenção de ampliar a marca com análises e posts de Blog. Já estamos interagindo também nas redes sociais que você podem seguir aqui:
Twitter: https://twitter.com/tempodebolacast Instagram: https://instagram.com/tempodebolacast Facebook: https://facebook.com/tempodebolacast
Estamos em todos os Players tradicionais de Podcast e agora o povo do Reddit também já ficou sabendo. Seguem os feeds dos Players:
Spotify: https://spoti.fi/3dU08ed Anchor: https://anchor.fm/s/28463228/podcast/rss Deezer: https://deezer.com/bshow/144442 Apple Podcasts: https://apple.co/3imiLLu Castbox: https://castbox.fm/ch/3059403 Pocket Casts: https://pca.st/5jnzwc6i Breaker: https://www.breaker.audio/feeds/1713422.rss Radio Public: https://radiopublic.com/tempo-de-bola-WzoRMw Overcast: https://overcast.fm/itunes1521583468/tempo-de-bola Google Podcasts: https://podcasts.google.com/feed/aHR0cHM6Ly9hbmNob3IuZm0vcy8yODQ2MzIyOC9wb2RjYXN0L3Jzcw== SoundCloud: https://soundcloud.com/user-175082839/002-sane-e-do-bayern-e-o-united-e-de-bruno-fernandes
E essas são as redes sociais dos participantes:
https://twitter.com/and_moura - Anderson Moura https://twitter.com/FCamposoficial - Fernando Campos https://twitter.com/octaviobuzz - Octavio Neto https://twitter.com/TatoRodrigues_ - Otavio Rodrigues
submitted by tempodebolacast to brasilivre [link] [comments]


2020.06.29 20:20 throwaway2159861 Fracassei em todos os aspectos da minha vida

Boa tarde, estou precisando desabafar e resolvi contar aqui grande parte da minha história e talvez fazer uma auto-análise. Imagino pelo que vi e vivenciei que é possível que muitas pessoas se identifiquem com os assuntos que eu vou falar, então pode até ser uma leitura interessante.
Antes de começar, recomendo essa música pra quem por ventura vier a ler o texto abaixo. Ela não tem nada de especial, mas eu gosto bastante dela.
https://www.youtube.com/watch?v=7NLvmr7zpso
Pois bem, atualmente tenho 28 anos, quase fazendo 29 e estou terminando a minha segunda faculdade. Provavelmente algumas coisas em relação a datas serão confusas pois além da minha memória ser bastante ruim, ela se restringe aos últimos 5 anos da minha vida. Então, as últimas memórias que eu tenho são da copa de 2014 no Brasil onde consegui assistir a alguns jogos. Eu não sei se isso é neurológico, mas estou pra ver isso tem alguns anos já. Antes que perguntem, eu tenho memórias de situações anteriores, mas em vez de lembrar do fato em si eu me lembro de alguma outra pessoa me contando, então é uma espécie de memória de segunda mão.
Enfim, quando eu tinha cerca de 10 anos eu tive depressão crônica e comecei a tomar medicamentos para tratar isso. Por volta dos 13~14 além do tratamento da depressão, eu comecei a ter ataques de pânico intensos, de modo que eu tive que abandonar o colégio por cerca de 6 meses pois eu não conseguia sair de casa. Também desenvolvi um distúrbio de personalidade esquizóide. Felizmente acabei não perdendo o ano pois a direção entendeu a minha situação e eu tinha boas notas, esporadicamente eu arrumava a matéria do colégio e lia em casa pra tentar aprender alguma coisa. Curiosamente um amigo meu me contou anos depois que a minha mãe por volta dessa época pediu pra ele e alguns outros amigos tentarem me convencer de ir numa excursão do colégio que seria durante um feriado prolongado.
Avançando um pouco, por volta dos 17 anos e perto de prestar o vestibular, eu não tinha a menor idéia de qual curso eu deveria escolher. Cheguei a perguntar para o meu pai se ele poderia me dar mais um ano pra escolher a carreira enquanto eu fazia um cursinho mas ele só riu e achou que eu estivesse de sacanagem. Por fim, acabou falando pra eu fazer Direito pois ele sempre achou que todo mundo deveria saber o básico das leis, além do fato de ter trocentos concursos públicos disponíveis pros graduados. Nesta época, eu já estava de saco cheio de estar indo no psicólogo e no psiquiatra com regularidade, além de ter que tomar os medicamentos todo dia. Pra ser sincero, comecei a tomar os medicamentos em dias alternados em vez de diariamente e cada vez mais fui espaçando, até o ponto de achar que eu não precisava tomar mais. Não notei mudança nenhuma no meu comportamento, apenas uma grave insônia. Depois de um tempo então revelei que eu não estava mais tomando os medicamentos para os médicos e para os meus pais e como aparentemente não fazia diferença nenhuma porque ninguém percebeu, eu só parei de frequentar o psicólogo e psiquiatra de um dia pro outro.
Como eu não sabia pra qual curso prestar vestibular, acabei acatando a idéia do meu pai, só que eu não tinha motivação nenhuma pra estudar. Aliás, eu nunca tive e sempre fiz parte da grande maioria dos alunos que estudam apenas na véspera. Para a minha grande surpresa, acabei passando no vestibular e só fiquei sabendo aos 45 do segundo tempo, no penúltimo dia da pré-matrícula quando um amigo meu veio me dar parabéns. Foi uma conversa engraçada, ele me deu parabéns mas eu não sabia pelo quê, já que eu não tinha acompanhado o resultado do vestibular pelo fato deu não ter estudado durante o ano. Foi uma grande sorte, que aliás é um tema recorrente na minha vida. Dei sorte do meu colégio dar o conteúdo inteiro durante o 1º e 2º anos do ensino médio, deixando o 3º ano apenas pra revisão da matéria toda, então querendo ou não, eu assistindo as aulas acabei fazendo uma revisão sem querer. Dei muito mais sorte do meu amigo ter me avisado, já que sem ele eu perderia a matrícula e só deus sabe o que aconteceria. Talvez eu conseguisse o meu sonhado ano pra descobrir o que eu queria fazer da vida, mas me conhecendo, acho que eu apenas procrastinaria por mais um ano.
Já no começo da faculdade eu percebi que as carreiras legais não eram pra mim. Na verdade, analisando friamente, tenho certeza de que eu seria um bom juiz, devido à minha personalidade e jeito de ser. Infelizmente nasci sem a motivação necessária para traçar objetivos de longo prazo e perseguí-los. É bem verdade que eu considero que não se nasce com isso e que é tudo uma questão de disciplina, mas não me vejo mudando isso na minha personalidade no curto, médio ou longo prazo. Talvez seja um mecanismo de defesa pra me prevenir do fracasso, afinal de contas, ninguém pode dizer realmente que fracassou se nem tentou.
Enfim, apesar de achar a área da advocacia algo bastante chato, passei a me interessar moderadamente pela área acadêmica, mais especificamente pelo jusnaturalismo. Na época da faculdade comecei a ler um pouco sobre religião comparada e sempre achei que o direito sem uma base metafísica não passa de um jogo de poder onde quem possui mais faz a lei e quem não possui apenas obedece. Até hoje tenho vontade de realizar uma pesquisa acadêmica sobre isso, mas as chances beiram a zero pois a vida acontece.
Também durante a faculdade eu comecei a ter recaídas da depressão, mas como eu já conhecia os sintomas, eu sempre tomava medidas contra a minha própria vontade para tratar o problema no início. Eu tinha que manter um horário de sono regular, fazer algum tipo de exercício físico diariamente e ter uma alimentação mais saudável. Isso realmente funciona, então se alguém estiver passando por isso, recomendo fazer isso antes de partir para algo mais radical. O problema é que isso é chato demais e eu não conseguia manter essa disciplina por muito tempo, então eu ficava alternando períodos bons e ruins. Na verdade, isso acontece até hoje, mas aos poucos fui aprendendo a lidar com isso.
Vou abrir um parêntese aqui pois pelos anos de experiência, percebo que muitas pessoas passam pelo mesmo problema que eu, sobretudo aqui que é um lugar para desabafos anônimos. Também não é um assunto fácil de conversar com as pessoas, a não ser que você tenha ótimos amigos ou uma família bem estruturada que se importa realmente com você. A minha família sempre me deu essa abertura, mas por conta da minha personalidade eu nunca fui capaz de falar nada disso com eles. Aliás, não sei nem se adiantaria alguma coisa falar com eles. Acredito que o melhor meio mesmo seja apenas ler relatos na internet de pessoas que passam por uma situação semelhante pra saber que isso não acontece só com você. Acho que isso foi o grande motivador pra eu escrever este texto.
Gostaria de falar sobre sentimentos. É bastante paradoxal, visto que eu sou literalmente analfabeto em matéria de sentimentos e não sinto quase nada devido à minha TPE. Ainda sim, acredito que ajuda bastante saber que alguém tem a mesma sensação que você, pois é algo difícil de colocar em palavras. A pior delas é justamente esse algo que não tem nome. É como se fosse alguma coisa queimando, mas não queimando num sentido físico. Está mais para uma dor na alma, ainda que paradoxalmente a dor pareça física. Desde pequeno eu sinto isso e não consigo imaginar a minha vida sem sentir isso. A melhor forma que eu encontrei de descrever essa sensação até hoje foi como se existisse um buraco negro em algum lugar aqui dentro e que ele estivesse sugando tudo, até mesmo a tristeza, só que como ela está em maior quantidade, é o que acaba sobrando pra gente, ainda que essa tristeza não seja tão intensa quanto já foi em outros momentos.
Voltando, já no meio da faculdade eu sabia que teria problemas caso eu decidisse mudar de carreira pois seria bem mais difícil a minha entrada no mercado de trabalho sem experiência e com uma idade avançada, sem contar psicologicamente, já que os meus amigos estariam numa posição mais avançada da carreira profissional e consequentemente ganhando muito mais dinheiro que eu, o que é difícil pra qualquer pessoa, ainda que você não se importe muito com isso. Eu decidi não abandonar o curso no meio pois era um curso de renome numa excelente faculdade, então ainda tive que aturar mais 2,5 anos estudando algo que eu não gostava só pra pegar o diploma no final tendo certeza que eu não iria usá-lo.
Pois bem, prestei o enem no último ano da faculdade e consegui emendar um curso no outro. Não pra minha surpresa, descobri que o segundo curso que eu escolhi também era horrível e confesso que até cogitei em voltar pra advocacia. O problema é que eu não tive nenhuma experiência profissional em escritórios de advocacia e já esqueci o conteúdo da faculdade anterior, o que basicamente me impossibilita de voltar pra carreira anterior.
Ao menos arrumei um estágio e estou ganhando um salário mínimo por mês até eu me formar, que eu espero que seja daqui a dois meses. A parte ruim é que provavelmente não vão me contratar e eu vou ficar desempregado, a parte boa é que eu odeio o meu trabalho e provavelmente não vou aguentar nem mais 1 ano trabalhando lá.
Dito isto, vamos aos problemas e ao real motivo do desabafo. De uns tempos pra cá o negócio do meu pai está indo muito mal, de modo que tivemos que pegar alguns empréstimos com o banco e o coronavírus acabou forçando o negócio a ficar parado desde março. Então, já estamos numa situação periclitante.
Não bastasse isso, recentemente meu pai teve que operar para tirar um tumor e ao que tudo indica, provavelmente ele está com câncer. Além disso o meu pai está no limite de fazer parte do grupo de risco do covid e trabalha com atendimento ao público. Não sei como faremos pra tomar conta do negócio, já que ele provavelmente vai ter que parar de trabalhar pra fazer o tratamento.
A minha mãe por sua vez é aposentada por invalidez. A minha irmã tentou abrir um negócio também mas foi paralisado pelo coronavírus, sendo que ele já não ia bem. Desde o ano passado ela veio com uma proposta deu tomar conta da parte administrativa da coisa e tirar um dinheiro para mim do que entrar, mas a verdade é que ainda não consegui tirar sequer 1 real da coisa pois essa é a única fonte de sustento da minha irmã, então tudo o que eu consegui foi trabalhar de graça e um monte de dor de cabeça.
Eu por minha vez estou trabalhando entre 10 e 14h por dia ganhando um salário mínimo, fora o estresse e ainda tenho cerca de 5 semanas pra escrever o TCC que eu nem comecei pra me formar na faculdade daqui a 2 meses.
A única notícia boa que eu tive recentemente foi um conhecido meu ter me contado que só não se matou porque há uns anos atrás eu liguei e conversei com ele bem no dia em que ele tinha pretendido se suicidar.
Dada a minha situação é difícil não pensar em se matar constantemente. Não que isso seja algo novo, tenho esses pensamentos recorrentes desde os 13 ou 14 anos de idade, mas entre pensar e fazer existe um abismo infinito de modo que eu nunca cogitei seriamente fazer isso. Ainda sim, deixo sempre a opção aberta muito embora eu tenha me decidido a fazer isso só depois dos meus pais e da minha irmã morrerem.
Sendo bem sincero, motivos mesmo pra continuar vivendo eu não tenho nenhum. A única coisa que ameniza um pouco é eu tentar deixar a vida um pouco menos merda para os meus familiares, só que o fato é que eu tenho 28 anos na cara e não consigo nem me sustentar sozinho. Se o meu pai morrer, seja de câncer ou de coronavírus, imediatamente teremos que vender o apartamento e ir morar de aluguel ou com algum parente.
Eu acho que isso tudo é culpa minha, mas no fundo eu sei que não é, já que ninguém é capaz de prever o futuro. Também sei que a minha situação não é tão ruim quanto a de outros, já que eu ainda tenho um teto e comida, mas também sei que a coisa pode ficar feia muito rápido.
Acho que o maior agravante é que eu não tenho sequer 1 área da vida onde eu tenho um desempenho satisfatório. Fracassei economicamente, já que não consigo me sustentar; Fracassei amorosamente, visto que não tenho perspectiva nenhuma de constituir família; Fracassei socialmente pois o meu já pequeno círculo de amizades está se tornando cada vez menor muito pela perda de contato, já que eu não tenho mais como acompanhar os meus amigos com tanta frequência devido à falta de tempo e dinheiro; e a pior de todas, é a sensação de que fracassei como filho. Sim, é verdade, e eu tenho certeza que ninguém nunca vai falar isso, mas não existe nada mais natural que os filhos tomarem conta dos pais na velhice. Infelizmente pra mim, esse tempo chegou e eu não fui capaz de resolver esse problema à altura.
Quem não gostaria de bancar os pais para eles pararem de trabalhar, depois de uma vida inteira de trabalho? No meu círculo social já há pessoas que conseguiriam fazer isso, ao menos durante esse período de quarentena. É inevitável a comparação, mesmo sabendo que cada um é cada um. Eu sempre soube que seria difícil não ficar chateado com esse tipo de coisa quando eu escolhi mudar de carreira, mas está beirando o impossível. Não apenas no aspecto econômico, mas também no aspecto afetivo. Desde sempre a minha família soube que eu era praticamente um autista no quesito de relações sociais, ainda que eu esteja infinitamente melhor do que quando eu era mais novo. O que pega mais, é que no meu íntimo eu sequer considero a minha família como família propriamente dita. Eu entendo que eu tenho um dever moral para com eles, mas não vejo diferença entre eles e os outros seres humanos. É por isso que eu nunca falei eu te amo para eles e nem para ninguém. Não tenho certeza se eu vou chegar a falar isso pra alguém na minha vida, mas tudo indica que não.
Enfim, eu tinha mais coisas pra falar, mas infelizmente tenho que voltar a trabalhar. Desabafar aqui não foi ruim, eu deveria fazer isso mas vezes. Dito isto, eu estou juntando um dinheiro pra me consultar com um psicólogo online depois de quase 10 anos. Eu gostaria de ter dinheiro pra fazer pelo menos 2 meses, mas é difícil achar um psicólogo bom na faixa de preço que eu posso pagar.
Se possível, eu também gostaria de um feedback sobre o texto em si. Eu tenho uma conta anônima no medium e escrever lá, ainda que infrequentemente por falta de tema ou tempo, acabou se tornando uma das poucas diversões que eu tenho, muito embora eu ache que seja difícil alguém chegar a ler até o final, dado o tamanho imenso do texto.
É isso, excelente dia pra vocês.
submitted by throwaway2159861 to desabafos [link] [comments]


2020.06.27 14:50 Diweed Crédito Habitação Quantos anos?

Olá a todos!
Estou a pensar em comprar casa e apesar de já ter lido bastante sobre o assunto não consegui chegar a uma conclusão.
Devo pedir uma crédito de habitação durante mais anos pagando menos consequentemente, ir investindo o dinheiro que vou acumulando e ao longo dos anos vou amortizando ou pedir um crédito habitação durante um prazo mais curto e ir pagando esse valor com menos juros. Qual é a vossa opinião?
Obrigado, qualquer dúvida/detalhe que possa ajudar na vossa opinião eu esclareço.
submitted by Diweed to financaspessoaispt [link] [comments]


2020.06.20 23:57 Sataneiro Existe alguém aqui que simplesmente não gosta de ter amigos? Estou nessa.

Pois bem, eu sou assim, eu percebi que eu costumava me sentir mal não por não ter, mas por causa da opiniões das pessoas de que não ter amigo é algo extremamente ruim.
Eu não tenho nenhum problema de socialização, converso com qualquer pessoa, seja homem ou mulher, brinco, puxo assunto e tudo mais, a maioria me considera carismático.
Só que há uns anos eu propositadamente me afastei dos únicos amigos que tinha, atualmente não tenho nenhum e por incrível que pareça, acho melhor assim. Sempre que alguém começa se aproximar demais eu me afasto, odeio gente de cima, odeio cobranças, odeio compromissos sociais. Odeio que tirem meu foco das minhas metas a longo prazo, aprecio e MUITO ficar sozinho, com meus livros/filmes/estudos.
Percebi que tenho uma enorme preguiça da grande maioria das pessoas, não pensem que sou arrogante nem nada, converso com todos (e desprezo arrogantes), mas simplesmente não quero ninguém próximo demais. Minhas melhores companhias estão na internet, minhas melhores conversas são com pessoas daqui.
Eu tenho vários colegas, nenhum amigo, e hoje vejo que gosto disso. Ficar sozinho pra mim é a melhor coisa do mundo. Existe outra pessoa aqui na mesma situação?
submitted by Sataneiro to desabafos [link] [comments]


2020.05.24 13:19 HobbesCloud [IRS] Declarar o beneficio fiscal do PPR AR ou não?

Olá a todos!
Fiz uma procura sobre este tópico e encontrei já alguns posts sobre o assunto mas mesmo assim não ficou claro para mim e acho que a resposta não é óbvia e depende da pessoa e estratégia.
No meu IRS consigo baixar o "valor a pagar" em 400€ se declarar o PPR AR mas não sei se o deva fazer. O que é que devo ter em conta nesta escolha?
Meu portfólio tem 25% PPR AR e 75% IWDA. O objetivo é continuar assim e ser longo prazo (15+ anos). Tenciono abrandar o ritmo do trabalho aos 50 anos e eventualmente começar a tirar 5-7% ao ano do IWDA. Posso ou não vir a necessitar de dinheiro para investimento numa casa para arrendar ou outro negócio (poderei vender % no IWDA ou PPR AR dependendo) mas a probabilidade disto acontecer é baixa. Mas sei lá eu...
Tomam esta decisão com base em quê? O que foi forte o suficiente para tomarem a decisão de usar o beneficio fiscal do PPR ou não?
Obrigado a todos e um bom domingo!
submitted by HobbesCloud to financaspessoaispt [link] [comments]


2020.05.20 23:44 sairjean Brasil, Vida e Morte (Uma Crítica a Demétrio Magnoli)

Em 18/05, O Globo publicou um artigo do sociólogo Demétrio Magnoli, entitulado “Suécia, Vida e Morte”, com o subtítulo “ O colapso econômico cobra vidas ”, disponível em:
https://oglobo.globo.com/opiniao/suecia-vida-morte-24429777
Como o acesso é fechado a assinantes, e para melhor entendimento do que exporei aqui, reproduzo o texto integral do artigo abaixo. (Sou assinante, não “hackeei” o site.)
Os secretários estaduais de Saúde bateram a porta na cara do agora ex-ministro Nelson Teich. Diante de uma proposta de diretrizes sobre níveis de distanciamento social, responderam que, enquanto a curva da epidemia sobe, não é hora de discutir o assunto. Nossa polarização política reflete-se como guerra retórica entre dois extremismos. Num polo, Bolsonaro e seus lunáticos fantasiam-se de defensores da economia e dos empregos. No extremo oposto, configura-se um fundamentalismo epidemiológico que, vestido com a roupagem da ciência, exibe-se como o exército da vida. A Suécia oferece uma alternativa à dicotomia irracional.
O país escandinavo rejeitou a polaridade filosófica vida versus morte e sua tradução estratégica: saúde pública versus economia. Distinguindo-se de quase toda a Europa, navega por medidas brandas de isolamento social que não abrangem quarentenas extensivas. O fundamentalismo epidemiológico acusou-a de renegar a ciência, cotejou sua taxa de mortalidade por Covid (34 por 100 mil) com a de seus vizinhos (Noruega: 4,3; Finlândia: 5,1) e, num julgamento sumário, declarou-a culpada de desprezo pela vida.
O governo sueco não classificou a doença como “uma gripezinha”, recusando o negacionismo. Como o resto da Europa, definiu o objetivo de “achatar a curva”. Mas modulou a estratégia para o longo prazo, estimando que a vacina tardará. Aceitou, portanto, taxas maiores de óbitos imediatos, em troca da mesma mortalidade que os outros no horizonte da imunidade coletiva. No plano epidemiológico, um veredicto justo deve aguardar o momento redentor da vacinação em massa.
O parâmetro sueco não é suprimir o vírus pelo bloqueio social, mas evitar as mortes evitáveis — ou seja, preservar a capacidade hospitalar de atendimento de casos graves. Nesses dias, após “achatar a curva”, os governos europeus começam suas reaberturas, ainda em meio a milhares de contágios. Todos rendem-se ao mesmo parâmetro — e, claro, enfrentam a voz indignada dos anjos da vida.
Os anjos estão errados, por motivos pragmáticos e filosóficos. O colapso econômico cobra vidas. A depressão mundial lançará cerca de 130 milhões de pessoas na vala da fome. O desemprego crônico, com seu cortejo de alcoolismo e opioides, corta a expectativa de vida em mais de cinco anos. Por que a vida de um faminto ou de um desempregado vale menos que a de um infectado pelo vírus?
A Suécia levou em conta um valor que escapa ao domínio epidemiológico: as liberdades civis. Quarentenas prolongadas achatam direitos, tanto quanto a curva de contágios. A liberdade ou a segurança? No caso da Aids, que matou 32 milhões, jamais restringimos as atividades sexuais, impondo legalmente testagens aos parceiros para evitar a difusão do vírus. A filosofia moderna nasceu com a declaração do direito à revolta contra governos tirânicos. A escolha de viver em liberdade deflagra rebeliões, que causam conflitos e mortes.
No plano dos valores, quarentenas justificam-se pela interdição ética fundamental de deixar pacientes morrerem sem tratamento apropriado. Itália, Espanha e França recorreram ao lockdown precisamente diante desse abismo. A Alemanha, que não chegou perto dele, preferiu uma quarentena moderada — e começa a reabrir em nome dos “direitos constitucionais”.
O exemplo sueco não indica que os italianos erraram — e não serve para moldar as respostas brasileiras a uma curva exponencial. Por outro lado, é a bússola mais precisa para nortear o debate, em todos os lugares, sobre lockdowns, quarentenas e flexibilizações. A epidemiologia militante, iracunda e intolerante, não tem o direito de invocar uma aliança preferencial com a vida, rotulando como arautos da morte os que ousam contestar suas receitas.
Teich foi elevado por Bolsonaro ao ministério com a missão de fabricar mais desordem, sabotando nossas últimas oportunidades de coordenar o combate à epidemia. Mas ele sabotou o sabotador, ao oferecer um esboço de diretrizes comuns. Os secretários de Saúde fizeram baixa política ao recusar a mera discussão da proposta. Ganham aplausos indevidos de fanáticos do bem.
Em questões de vida ou morte, a virtude não está “no meio”, como em outras questões filosóficas (e pragmáticas), mas num dos extremos, o da vida. “Por que a vida de um faminto ou de um desempregado vale menos que a de um infectado pelo vírus?”, ele pergunta retoricamente. Não se trata de qual vida vale mais, mas de quem está em perigo mais imediato de perder a vida. As mortes por covid são para agora; as mortes por fome ou desespero em decorrência da depressão econômica são pra depois. Haverá tempo para se tomar medidas para evitar essas mortes, desde políticas públicas de auxílio aos desvalidos, como vários países já estão fazendo (até mesmo o Brasil, ainda que aos trancos e barrancos), até iniciativas de solidariedade espontâneas da própria sociedade (como também já vem ocorrendo no Brasil, envolvendo desde grandes empresários até os vizinhos nas comunidades carentes). E, nesse meio-tempo, temos a chance de expandir a rede de tratamento hospitalar (de novo, como até no Brasil se está fazendo, mesmo com todos os problemas que temos visto), e a Ciência de desenvolver novos tratamentos, remédios eficazes e, talvez, até mesmo uma vacina. É claro que nem os governos, nem as empresas, nem os cidadãos em geral poderão sustentar indefinidamente os que perderam suas fontes de renda em virtude da paralisação das atividades econômicas. Uma hora, os recursos de que podem lançar mão se esgotarão. Mas quanto mais pudermos adiar o retorno pleno às atividades, mais mortes totais evitaremos, seja por covid, seja de fome.
submitted by sairjean to coronabr [link] [comments]


2020.05.15 00:55 investeemvalor [Discussão Financeira] Onde estão investidas as vossas poupanças?

Boas,
Recentemente com o covid-19 acabei por ficar sem emprego por uns meses. Com este tempo todo livre decidi começar um projeto website/blog sobre investimento nos mercados financeiros, mais precisamente o investimento em valor ("value investing"). Para quem não conhece, o "value investing" consiste no investimento em empresas que estão sub-valorizadas nos mercados, mas que têm imenso potencial a longo-prazo e baixo risco. A verdade é que os mercados financeiros estão repletos de profissionais que têm de apresentar resultados trimestrais, sendo que estão constantemente a vender ações que estimam que vão descer e a comprar acções que estimam que vão subir. Isto significa que por vezes é possivel encontrar empresas com baixo potencial a curto prazo (ou seja, não interessam à generalidade dos profissionais financeiros), mas com bastante potencial a longo prazo.
A minha ideia é crescer o blog com os diversos temas relacionados aos mercados financeiros, ao investimento em valor ("value investing") e também explicar os riscos e oportunidades que existem. Como tenho background em economia/finanças já tenho uma boa ideia de como as coisas funcionam e é por isso que vos gostava de pedir ajuda e fazer algumas perguntas a quem quiser responder:
- Já alguma vez investiste na bolsa de valores? Como correu?
- Se nunca investiste, posso perguntar porque? Gostavas de aprender mais sobre o assunto e começar a investir?
- O que gostavas de aprender? Que dúvidas tens?
Tudo e mais alguma coisa que queiras partilhar sobre este tema, fico bastante agradecido. A ideia é utilizar este feedback e fazer artigos a responder às vossas dúvidas (porque na verdade também serão iguais às das restantes pessoas).
Eu imagino que este tema não seja interessante para a maioria das pessoas, mas existem oportunidades nos mercados em que a longo prazo é possível ter rendimentos de 7%-10% por ano, enquanto que os depósitos a prazo estão a render praticamente 0% neste momento. A maioria dos portugueses aplica as suas poupanças em depósitos a prazo e se conseguisse ajudar estas pessoas a conhecer as oportunidades que existem então já seria tempo bem utilizado.
Qualquer dúvida ou sugestão estão à vontade.
Obrigado!
submitted by investeemvalor to portugal [link] [comments]


2020.05.07 16:31 Ribbeirinho O meu Portfólio - Que comece a "discussão" e opiniões sobre o mesmo :)

O meu Portfólio - Que comece a
Olá a todos!
O meu nome é Gonçalo Ribeirinho e tenho 22 anos. Comecei a estudar finanças pessoais há 4 anos atrás, o que me dá uma grande vantagem para o futuro. Relativamente ao mercado de Ações (Mercado Bolsista) comecei a estudar há 7 meses. Não comecei logo a investir. Primeiro quis ter uma base sobre aquilo que esperava deste mercado. Leio imenso (Certa de 1 livro a cada 2 semanas) o que me dá um enorme prazer em todos os momentos em que pego num livro sobre este tipo de assuntos, sendo bastante vantajoso para mim aprender vários tipos de perspetiva.
Comecei realmente o meu portfólio há 2/3 meses atrás com uma das primeira alocações na UBER - O que considero, nos dias hoje, ter sido um dos meus primeiros erros de investidor (Explico no meu canal o porque - https://www.youtube.com/channel/UC88aAJzByhxcl8FuoqI1ihA).
A nível de estratégia e a nível de perfil de investidor tenciono ser um investidor de valor. Explicando melhor sobre este tipo de estratégia para os mais leigos é, basicamente, descobrir o valor justo pelo qual eu, como investidor, pretenda ter de % de retorno por mês. Adoro este tipo de perfil e de estratégia, pois é com ela que posso fazer aquilo que gosto - Explorar empresas a FUNDO e analisar as mesmas como um bom ou mau investimento a longo prazo.
Após vários meses a consumir, de forma bastante conservadora e racional, todo o tipo de conhecimentos sobre esta área decidi que, até ao momento (Pois posso querer limar algumas arestas na minha estratégia e na minha alocação) alocar da seguinte forma o meu portfólio, seguindo sempre a personalidade e perfil que quero como investidor:

  • 30% Ações
  • 60% ETF's
  • 7.5% Ouro
  • 2.5% Crypto

Ações Individuais
No meu caso, a minha alocação preferencial, pois como disse anteriormente eu sou um investidor de valor e simplesmente ADORO analisar uma empresa de cima abaixo. Este tipo de alocação só corresponde a 30% do meu Portfólio devido à alocação mensal que faço todos os meses (ou de cada 3 meses para um ETF) assunto que abordarei no próximo ponto. Este tipo de alocação e, de acordo com o meu perfil e estratégia, requerer paciência de me aguentar com cash e entrar só no valor justo que eu estipulei.
ETF's
Grande parte do meu portfólio está alocado em ETF's. Razão? Simplesmente por fazer aportes de mês a mês ou, nos piores dos casos, a cada 3 meses. Adoro ETF's também (Não tanto como ações individuais), pois como devem calcular, os meu investimentos em ações individuais são todos em empresas na América. Com os ETF's posso diversificar em mercados emergentes e outros países desenvolvidos de acordo com o meu estudo economia e conhecimento em economia internacional.
Ouro
Se eu vos pedir para, neste momento, rasgarem uma determinada nota (nem que seja de 5€) vocês não conseguem. Assim como eu não tenho essa proeza e coragem. Não conseguimos rasgar porque acreditamos que aquilo que serve como a nossa atual "currency" tem valor para nós. Não só fisicamente, mas também porque acreditamos com toda a nossa fé que aquele pedaço de papel tem valor nas nossas vidas. É neste ponto onde eu quero chegar. Aquilo que vocês seguram na vossa mão, estipulado de "currency" nos dias de hoje é falso em todas as perspetivas. Eu invisto em ouro (não com o objetivo de ter grande parte do meu portfólio, mas sim para o objetivo de rebalance do mesmo) simplesmente porque gosto de ter uma garantia sobre a nossa atual "currency". E como é claro como a água cristalina, não confio nos governos!
Crypto
Já sei o que muitos de vocês vão dizer: "BITCOIN/Crypto é especulativo!!"; " Tu como investidor de valor não deverias ter no teu portfólio uma alocação alimentada de pura especulação". Entre outros comentários que vejo na net. Essas pessoas até podem razão, mas posso garantir que adoro bastante a filosofia criada através da bitcoin e o que pode alterar em termos macroeconômicos para nós, pessoas do quotidiano. Sei que é uma alta especulação, assim como a blockchain (Blockchain não é BITCOIN). É por essas razões que tenho (Irei ter, neste caso) apenas 2.5% do meu portfólio em crypto. Não estou a dizer com isto que BITCOIN é 100% o futuro. Apenas estudei, gostei e fiz uma alocação com % mínima do meu porfólio, acreditando em todo o conhecimento absorvido do mesmo e nas tendências macro económicas que o mundo enfrenta a médio/Longo prazo. Estudei, através de um livro, o poder de transformação da bitcoin através da quarta revolução industrial e afirmo ter ficado incrivelmente interessado pela bitcoin. Li 2 livros, vários artigos e consumir várias horas de vídeos do youtube acerca da bitcoin e blockchain.

Como final deste post deixo alguns prints sobre o meu portfólio atual:
Alocação atual:
Ainda sem a alocação pretendida

Dividendos:
Visto ser um investidor de valor, por enquanto isto é só meramente informativo :)

Tabela global dos dividendos pagos:
https://preview.redd.it/zu39mk2fscx41.png?width=1872&format=png&auto=webp&s=5f8f83ce923414395ce5d748ecee32a43476eee2
https://preview.redd.it/072i8hjfscx41.png?width=1040&format=png&auto=webp&s=7914a7f874163a31770a6093f5721c642dcca80c
Adorei escrever este post e poderei modificar alguns erros conforme a discussão que tenha convosco de certo tema!
Espero escrever este post novamente daqui a 1 ano e atualizar-vos sobre a performance dos meus investimentos!
Obrigado a todos os que disponibilizaram do seu tempo para ler um tipo aleatório a dar as suas ideias e a partilhar o mínimo de conhecimento que tem sobre esta área. Estou aqui para aprender, assim como todos nós neste presente Reddit. Qualquer questão não hesitem em colocar nos comentários :)
Abraço,
Continuação de bons investimentos,
Gonçalo Ribeirinho
submitted by Ribbeirinho to literaciafinanceira [link] [comments]


Onde Investir seu dinheiro de Longo Prazo e Preparar sua ... Vanessa Tobias dá 5 dicas de Coaching para realizar sonhos em 2016 Curto, médio e longo prazo: você realmente sabe o que isso ... Investindo para longo prazo! VIAGEM de LONGO PRAZO – 2 anos de VIDA na estrada Algumas Dicas - Como armazenar água a longo prazo - YouTube 5 AÇÕES com 50 ANOS de DIVIDENDOS Buy and Hold - A Primeira Estratégia. Ações, Dividendos, Valorização e Longo Prazo. 01 - Assuntos para o primeiro encontro

Ricardo Amorim traça o cenário econômico de curto e longo ...

  1. Onde Investir seu dinheiro de Longo Prazo e Preparar sua ...
  2. Vanessa Tobias dá 5 dicas de Coaching para realizar sonhos em 2016
  3. Curto, médio e longo prazo: você realmente sabe o que isso ...
  4. Investindo para longo prazo!
  5. VIAGEM de LONGO PRAZO – 2 anos de VIDA na estrada
  6. Algumas Dicas - Como armazenar água a longo prazo - YouTube
  7. 5 AÇÕES com 50 ANOS de DIVIDENDOS
  8. Buy and Hold - A Primeira Estratégia. Ações, Dividendos, Valorização e Longo Prazo.
  9. 01 - Assuntos para o primeiro encontro

Oi gente, tudo bem com vocês? Meu nome é Fabio Faria, sou analista de valores mobiliários, devidamente credenciado pela APIMEC (CNPI n. 1711), e esse é mais um vídeo meu aqui no Youtube ... Algumas dicas para você começar a armazenar água. Portanto, uma carteira de longo prazo deve ter produtos que satisfaçam as necessidades da vida toda, sejam necessidades daqui um mês, daqui um ano, daqui 10 anos ou mais. Uma carteira de longo ... Pergunte como foi o seu dia: mulheres gostam quando mostramos interesse pelo seu dia, deixe que ela conte o que aconteceu ao longo das últimas 24 horas. Porém, como qualquer assunto que você ... Conrado Navarro explica melhor como o tempo deve ser visto nas decisões financeiras. Afinal de contas, o que é curto prazo, médio e longo prazo para você? At... A estratégia de investimentos de longo prazo, mantendo por anos ou décadas os mesmos ativos. Para essa estratégia traremos um grande parceiro nosso DayHolder para abrir seu método e mostrar ... Não é férias, é viver na estrada. Como tudo começou e o dia a dia da VIDA de um casal nômade pela Ásia e Oceania: aprendizados, experiências, perrengues, med... Como você já viu os vídeos sobre investimentos para o curto prazo, está na hora de aprender o que fazer com o seu dinheiro de longo prazo, e assim, se prepar... Pense em longuíssimo prazo. Toleramos cinco anos de uma vida “calcinha bege”, que não anima ninguém, mas a dor de uma vida inteira sem os enfrentamentos necessários e as sensações de ...